Força Naval de Honduras adquire lanchas interceptoras para fortalecer seu escudo marítimo

Militares hondurenhos esperam incorporar botes de múltiplas missões à sua frota em 2019.
Lorena Baires/Diálogo | 18 dezembro 2018

Capacitação e Desenvolvimento

A lancha MMI 35, construída pela empresa Safe Boats International junto com a COTECMAR, permitirá que a Força Naval de Honduras melhore suas capacidades para combater as estruturas que tentam levar drogas da América do Sul para os Estados Unidos. (Foto: Safe Boats International)

A Força Naval de Honduras (FNH) comprou duas lanchas tipo Multi-Mission Interceptor 35 (MMI 35) da Corporação de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento da Indústria Naval, Marítima e Fluvial (COTECMAR) da Colômbia para fortalecer seu escudo marítimo no Caribe contra o narcotráfico e o crime transnacional. As embarcações também possibilitarão desenvolver operações de proteção em fronteiras e segurança portuária, detenção de migração irregular e contrabando nas águas territoriais.

“Continuamos a fortalecer as operações de segurança na luta contra as ameaças emergentes; esse é apenas o início de um trabalho que busca importantes resultados”, disse à imprensa o , ministro da Defesa de Honduras Fredy Santiago Díaz. “Reconhecemos a contribuição da Colômbia para que Honduras possa alcançar seus objetivos, não apenas com o seu apoio logístico, mas também com a sua ajuda para que possamos desenvolver novas capacidades na luta contra o crime transnacional.”

As lanchas serão construídas em um período de 12 meses pela empresa Safe Boats International, uma aliada estratégica da COTECMAR. “As embarcações permitirão à FNH realizar uma ampla gama de missões antinarcóticos, com um alcance de até 250 milhas náuticas (453 quilômetros). O convênio de cooperação é só mais uma demonstração de que, nas relações entre Honduras e Colômbia, buscamos combater as ameaças contra nossos povos para alcançar a paz”, garantiu o Vice-Almirante da Marinha Nacional da Colômbia Javier Díaz Reina, presidente da COTECMAR, por ocasião da assinatura do convênio, no final de outubro de 2018.

A Safe Boats International e a COTECMAR mantêm uma coprodução de equipamentos desde março de 2017, onde se destacam as lanchas Defender, Apostle, Full Cabin Jet Boats (lanchas a jato com cabine completa) e as MMI 35 adquiridas por Honduras. “Com as duas unidades de resposta rápida para a Força Naval de Honduras, atenderemos as expectativas de segurança e em breve comemoraremos a entrega das duas plataformas”, disse o V Alte Reina.

O Vice-Almirante Javier Díaz Reina, presidente da COTECMAR, se declarou satisfeito por compartilhar com Honduras a tecnologia desenvolvida na Colômbia para combater o narcotráfico. (Foto: Secretaria de Defesa Nacional de Honduras)

A FNH utilizará os barcos sobretudo nas operações de interdição ao narcotráfico e ao contrabando, nas operações de busca e resgate, evacuação, transporte de feridos e outras tarefas de apoio humanitário. “Com essas embarcações enfrentaremos o narcotráfico e apoiaremos as diferentes missões planejadas no âmbito regional”, enfatizou o Gen Bda Díaz.

Tecnologia de ponta

Honduras trava uma batalha frontal no Oceano Atlântico para deter inúmeras lanchas rápidas, semissubmersíveis e navios de grande porte que tentam levar drogas para os Estados Unidos. Esse esforço será multiplicado, pois os interceptores MMI 35 contam com tecnologia especial para melhorar o desempenho, aumentar a velocidade e reduzir o consumo de combustível durante uma operação. O desenho da lancha lhe dá estabilidade e maior poder de manobra ao realizar curvas fechadas em alta velocidade. A cabine é equipada com um sistema de navegação composto por um radar digital UHD (ultra alta definição), três monitores multifuncionais, que fornecem um ambiente de gráficos em 3D, e fotografia via satélite, além de GPS.

As MMI 35 foram a segunda encomenda feita por Honduras à COTECMAR. A primeira compra foi feita em novembro de 2017, quando o país recebeu o navio de apoio logístico e cabotagem Gracias a Dios, com capacidade para transportar 210 toneladas no compartimento de carga e autonomia de navegação de 40 dias. O navio é utilizado em missões humanitárias por sua potência e versatilidade. Tem capacidade de deslocamento em locais de difícil acesso ou onde não existem cais.

Em 2018, a FNH já realizou mais de 3.300 operações marítimas. Com a aquisição das MMI 35, os militares esperam deter as estruturas do crime transnacional e reduzir os fatores reprodutores de violência gerados pelo tráfico de drogas nas zonas costeiras.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 7
Carregando conversa