Forças Armadas de Honduras e Guatemala cooperam para melhorar a Segurança de Fronteiras com a Força-Tarefa Maya-Chortí

Forças Armadas de Guatemala e Honduras estão trabalhando juntas na luta contra o crime organizado por meio da Força-Tarefa Maya-Chortí, que vai melhorar a segurança na região da fronteira compartilhada pelos dois países.
Holger Alava | 27 janeiro 2015

As Forças Armadas de Guatemala e Honduras estão trabalhando juntas na luta contra o crime organizado por meio da Força Tarefa Maya-Chortí, que vai melhorar a segurança na região da fronteira compartilhada pelos dois países.

No início de janeiro, soldados de ambos os países, além de outras forças de segurança, começaram a coordenar operações de terra, ar e mar com a Força-Tarefa, que luta contra o tráfico de drogas e outros empreendimentos criminosos. Os membros da Força-Tarefa têm autoridade para realizar prisões em ambos os lados da fronteira.

A Força-Tarefa reunirá inteligência sobre as atividades das organizações do narcotráfico e de outros grupos criminosos envolvidos em tráfico de armas, contrabando e tráfico de pessoas, além de desenvolver operações específicas em ambos os lados da fronteira. As forças de segurança dos dois países também trocarão informações para maximizar a eficácia da Força-Tarefa.

Os presidentes de Honduras, Juan Orlando Hernández, e da Guatemala, Otto Pérez Molina, assinaram um acordo para estabelecer a Força-Tarefa.

“Nós precisamos ter uma presença no nível desta Força-Tarefa (…), imigração, polícia, promotores do Ministério Público estadual e o judiciário. (...) A missão desta Força-Tarefa é ter uma presença garantindo o controle e autoridade do Estado na fronteira (com a Guatemala)”, disse o presidente Hernández, segundo comunicado à imprensa da Presidência.

Operações de Terra, Ar e Mar

Para atingir melhores resultados e melhorar a segurança pública, tropas de ambos os países, assim como outras forças de segurança, vão reunir e compartilhar inteligência e coordenar várias operações de segurança.

“Neste setor, em particular, haverá recursos de terra, ar e mar e um trabalho coordenado entre os dois países”, explicou o tenente-coronel hondurenho Santos Nolasco, porta-voz da Força de Segurança Interinstitucional Nacional (FUSINA), parte da Força-Tarefa Maya-Chortí. A Força-Tarefa não é o primeiro exemplo de cooperação entre as forças de segurança dos dois países. “Mas, obviamente, essa cooperação agora será muito mais intensa e profunda”, diz Armando Rodriguez Luna, analista de segurança da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM).

A cooperação entre as Forças Armadas de Honduras e Guatemala em sua fronteira compartilhada é crucial na luta contra o trafico de drogas internacional por conta de sua localização importante no mapa: os dois países ficam entre regiões de produção e tráfico de drogas e países consumidores.

Como consequência, Honduras e Guatemala são pontos estratégicos de transbordo para grupos de narcotráfico internacional.

“Honduras e Guatemala são os dois principais países da região onde grandes cargas de drogas chegam e desembarcam”, diz Rodriguez Luna. “Nos últimos anos, autoridades desses dois países desmontaram importantes instalações de armazenamento de drogas e armas, o que os levou a tomar ações e trabalhar juntos para lidar com o crime organizado internacional.”

A Força-Tarefa Maya-Chortí é um importante esforço em que os dois governos cooperam regionalmente para combater o crime organizado e cartéis de drogas, afirma o analista de segurança.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 52
Carregando conversa