Forças Armadas de El Salvador recebem novos veículos para combater gangues

Forças Armadas utilizarão os novos veículos para fornecer segurança pública em regiões onde atuam gangues e criminosos.
Lorena Montserrat Cárcamo Baires | 19 janeiro 2016

No dia 24 de novembro, as Forças Armadas de El Salvador receberam uma nova frota de pick-ups do governo. Desde junho de 2014, as FAES trabalham com a Polícia Nacional Civil para combater as gangues. [Foto: Gloria Cañas]

As Forças Armadas de El Salvador (FAES) receberam uma nova frota de 47 pick-ups para responder rapidamente a chamadas de emergência de civis que relatam ataques criminosos. Os veículos serão enviados para operações de prevenção, patrulhas de vigilância e dissuasão e missões antigangues.

“O trabalho realizado pelas Forças Armadas é fundamental para a construção de uma sociedade em paz e convivência”, disse o presidente Salvador Sánchez Cerén, Comandante em Chefe das FAES, durante a cerimônia de entrega dos veículos em 24 de novembro. “Os militares assumiram com responsabilidade e compromisso a missão de apoiar as tarefas de segurança para proteger as famílias salvadorenhas. Isso gerou confiança entre a população.”

As FAES cooperam com a Polícia Nacional Civil (PNC) para desmontar a Mara Salvatrucha (MS-13) e a Barrio 18 (M-18) – duas das gangues de rua mais violentas do país – desde junho de 2014. “A eficiência das unidades comprometidas com o apoio à segurança pública vai melhorar substancialmente com esta frota de veículos. Agradecemos ao apoio que é dado a nós e prometemos continuar a trabalhar para levar segurança e tranquilidade aos salvadorenhos”, disse o ministro da Defesa, David Munguía Payés.

A compra da nova frota é parte de um reforço de orçamento de US$ 13 milhões (R$ 52,390 milhões) destinado à defesa nacional e aprovado pela Assembleia Legislativa pelo Decreto Nº 44 de 9 de julho de 2015. As operações de segurança das FAES são organizadas através da campanha “Nuevo Amanecer” [Novo Amanhecer] e confiadas aos comandos especiais “Zeus”, “Sumpul”, “San Carlos”, “Águila” e “Trueno”.

As FAES combatem as gangues em zonas de alta criminalidade

O Comando Zeus tem 2.821 militares enviados para 42 zonas de alta criminalidade. Esse comando está dividido em nove Forças-Tarefas, cujas atividades primárias são a busca de pessoas e veículos, realização de patrulhas e prisão de criminosos.

“Sentimos tranquilidade com os soldados perto das comunidades e de nossas casas. Sabemos que, se pedirmos ajuda, eles virão sem medo”, disse o carpinteiro Julio Aníbal Vega, 53 anos, que mora na cidade de Ilopango. “Acredito que as gangues pensarão duas vezes ao ver as Forças Armadas na área e esperamos que [as FAES] não vão embora.”

As FAES utilizarão os novos veículos para realizar patrulhas, vigilância e operações contras as gangues e crime organizado. [Foto: Gloria Cañas]

Em 2015, o Comando Zeus capturou 5.815 suspeitos, apreendeu 591 armas de fogo, confiscou 103.651 unidades de drogas e US$ 29.629 (R$ 119.384) em espécie. Já o Comando Sumpul, que tem mais de 1.000 soldados, é responsável pelo combate ao contrabando de drogas, armas, gado, veículos roubados, grãos, roupas, cigarros e bebidas nos 375 km de fronteira terrestre de El Salvador.

“Estamos fornecendo as necessidades de transporte da Direção de Logística das Forças Armadas, mas com estes veículos vamos fortalecer a capacidade de resposta e melhorar a mobilidade de nossas tropas para atender os cidadãos”, disse o Primeiro-Tenente René Benítez, Oficial em Comando do Comando Sumpul.

Em 2015, o Comando Sumpul apreendeu 521 armas de fogo; 29.681 unidades de drogas; 193 cabeças de gado contrabandeadas; 24.512 peças de roupas contrabandeadas; e US$ 22.220 (R$ 89.546) em espécie.

Comandos trabalham para desmontar gangues violentas

Os Comandos Águila e Trueno, com 1.302 soldados e 600 oficiais, respectivamente, têm a missão única de combater e erradicar gangues. "Os soldados estão participando das operações ‘Casa Segura’, nas quais eles entram nas casas e revistam pessoas para que não escondam armas ilegais ou drogas”, disse Patricia Elena Segovia, estudante universitária que mora em um condomínio densamente povoado no centro histórico de San Salvador. “Eles também ajudam na remoção dos membros de gangues que se escondiam em residências abandonadas.”

De janeiro a dezembro de 2015, os Comandos Águila e Trueno realizaram milhares de operações de segurança e detiveram 2.896 suspeitos.

“Sem dúvida, a missão de nossas instituições de segurança é altamente importante e vital para o desenvolvimento integral do nosso povo”, disse o presidente Sánchez Cerén no final de seu discurso. “Exige, portanto, o fortalecimento de suas capacidades técnicas e humanas para combater a criminalidade com eficácia.”

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 34
Carregando conversa