Exército do Uruguai e Plano Ceibal se unem para modernizar a educação dos militares

Um liceu militar para adultos recebeu mais de 100 laptops do Plano Conectividade Educativa de Informática Básica para o Aprendizado Online, também conhecido como Plano Ceibal.
Nastasia Barcelo | 22 dezembro 2015

O Plano Ceibal deu 100 laptops a estudantes de um liceu militar para adultos que integra o Instituto Militar de Armas e Especialidades (IMAE). [Foto: Cortesia das Forças Armadas do Uruguai]

O Plano Conectividade Educativa de Informática Básica para o Aprendizado Online do Uruguai, conhecido como Plano Plan Ceibal, entregou 100 novos laptops ao liceu militar para adultos que integra o Instituto Militar de Armas e Especialidades. O liceu é voltado a estudantes que tentam concluir o ensino médio.

Todos os 113 estudantes do ensino médio estão no Exército, Marinha ou Força Aérea. As Forças Armadas administram o instituto dentro da Escola de Suboficiais do Exército Sargento Francisco de los Santos, que oferece treinamento profissional, cultural e físico aos suboficiais do Exército. A escola, que aceita empregados civis do Ministério da Defesa como estudantes, oferece cursos de nível básico e avançado certificados pela Administração Nacional de Educação Pública (ANEP).

As Forças Armadas criaram o liceu militar do IMAE em 2001 para oferecer aos jovens militares a oportunidade de concluir o ensino médio. Desde então, mais de 1.250 estudantes frequentaram a escola, com uma taxa de evasão inferior a 1%.

“Estamos constantemente maravilhados ao ver a evolução dos estudantes desde a sua chegada até a conclusão dos estudos”, diz a professora Amalia Lolo, do IMAE.

Educação reforça carreiras militares

As disciplinas do ensino médio ajudam os estudantes em suas carreiras militares. Para subir na hierarquia, os efetivos devem alcançar níveis mínimos de formação em ensino médio, conforme os padrões estabelecidos pelo Conselho de Educação Secundária.

“Desde sua criação, a escola busca oferecer capacitação cultural ao pessoal subalterno, que precisava realizar cursos para ser promovido e não tinha o nível educativo exigido”, disse o Tenente Coronel do Exército Uruguaio Alejandro Echevarría, diretor da Escola de Suboficiais do Exército Sargento Francisco de los Santos, do IMAE, a Diálogo . “Com o passar dos anos, a escola se consolidou e a oferta educativa, o alcance e as metas se expandiram.”

Em 2015, os instrutores do IMAE receberam treinamento sobre a nova plataforma tecnológica que os soldados usarão em 2016. A nova plataforma permitirá que os estudantes alcancem os níveis esperados pelo Conselho de Educação Secundária.

“Na busca de inovação e motivação, começamos a pensar em diferentes opções para o liceu e decidimos unir forças com o Plano Ceibal”, disse o Coronel Gustavo Fajardo, diretor do IMAE, em um site oficial do governo. “Usar as plataformas que eles têm em nossa escola poderia dar bons resultados.”

Além de entregar os laptops, as autoridades do Plano Ceibal trabalham para melhorar a conexão de internet para assegurar que todos os computadores do IMAE possam acessar a rede simultaneamente. As autoridades do Plano Ceibal também são responsáveis por manter e reparar o equipamento de informática que provê ao IMAE, assim como treinar os instrutores sobre seu uso.

“As aulas são ministradas desde o primeiro ano do ciclo básico até o bacharelado diversificado em humanidades”, diz o Cel Echevarría. “Trabalhamos com o Conselho de Educação Secundária para expandir o programa, com a esperança de que nossos suboficiais receberão mais formação cultural.”

Plano Ceibal no Uruguai

O governo criou o Plano Ceibal em 2007, com o objetivo de oferecer um laptop a cada criança e a todos os professores de escolas públicas. O programa também tem o objetivo de capacitar os professores para usarem os computadores e desenvolverem abordagens educativas modernas.

A iniciativa forneceu laptops com conexão WiFi a estudantes de grande parte do país. Um dos objetivos de longo prazo do programa é promover a justiça social oferecendo ferramentas de informação e comunicação a toda a população.

A iniciativa melhorou as capacidades tecnológicas dos uruguaios em todo o país. No quesito preparação técnológica, por exemplo, o Uruguai subiu no ranking Network Readiness Index (NRI) do Fórum Econômico Mundial, passando de 3,67 pontos em 2006-2007 para 4,28 pontos em 2011-2012.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 23
Carregando conversa