Exército Colombiano Lança programa ‘Sextas-Feiras de Cores’, que oferece assistência médica e outros serviços para crianças

A banda de música da 11ª Brigada tocou para as crianças e seus pais. Os soldados envolveram as crianças em atividades de entretenimento divertidas. Alguns apresentaram truques de mágica, enquanto outros pintavam os rostos das crianças.
Holger Alava | 31 julho 2014

Capacitação e Desenvolvimento

Música no Exército: Soldados da banda da 11ª Brigada realizaram uma apresentação para um grupo de crianças e seus pais durante o lançamento do “Sextas-Feiras de Cores”, programa de parceria entre o Exército Colombiano e o prefeito de Montería, que busca atingir a população civil residente em regiões remotas. [Foto: Exército da Colômbia]

A 11ª Brigada do Exército da Colômbia está participando da ação “Sextas-Feiras de Cores”, programa que oferece assistência médica, educação, recreação, esportes e outras atividades para crianças e jovens de Montería, capital do departamento de Córdoba.

O programa foi lançado em 28 de maio. Em seu primeiro dia, soldados colombianos tiveram acesso a 250 crianças do bairro Furatena, ao sul de Montería.

Ocasião festiva

O dia do lançamento do programa foi uma ocasião festiva.

A banda de música da 11ª Brigada tocou para as crianças e seus pais. Os soldados envolveram as crianças em atividades de entretenimento divertidas. Alguns apresentaram truques de mágica, enquanto outros pintavam os rostos das crianças.

“Este programa visa a fornecer oportunidades de assistência médica, educação, recreação, esportes e outras atividades direcionadas a crianças e jovens”, disse o Exército em nota à imprensa.

O Exército Colombiano está prestando serviços importantes em áreas remotas e possivelmente perigosas, onde o trabalho é difícil para outros órgãos do governo, de acordo com Carlos Mendoza Mora, diretor da Projetos Estratégicos Consultoria (PEC), empresa de segurança privada sediada na Cidade do México.

“O Exército está envolvido nestes programas porque o resto dos órgãos do governo não tem garantias para trabalhar nessas zonas territoriais, alguém tem de fazê-lo, e o Exército entendeu isso claramente”, diz Mendoza Mora. “Nessas circunstâncias, o Ministério da Defesa integrou um painel para dar sustentabilidade a essas comunidades após a intervenção armada ter sido iniciada contra os grupos terroristas que operam na região, o que é uma boa ação-piloto que deve ser seguida por outros órgãos governamentais.”

‘Rindo pela Paz’ entretém civis em regiões remotas

O Exército Colombiano lançou outros programas para levar alegria e diversão a comunidades remotas em todo o país.

Um desses programas é o Circo Colômbia, também conhecido como “Rindo pela Paz”. O principal objetivo do projeto, que envolve soldados da 13ª Brigada pertencente à 5ª Divisão do Exército Nacional, é estreitar laços com as comunidades civis ao entretê-las.

O Rindo pela Paz apresentou um espetáculo em meados de março de 2014 em Tibiritá, Cundinamarca, uma região onde o extinto Cartel de Medellín operava na década de 80 e no início dos anos 90. Quando o Cartel de Medellín acabou, derrotado pelas forças de segurança colombianas, outros grupos do crime organizado, como Los Urabeños e Los Rastrojos, começaram a operar na região.

O Rindo pela Paz inclui 17 soldados. O grupo circense, formado em 1996, apresenta-se em vilarejos remotos toda semana. Os espetáculos são gratuitos.

Ações como a “Sextas-Feiras de Cores” e o “Rindo pela Paz” são maneiras inovadoras de o Exército alcançar a população civil de uma forma amigável e positiva.

“As autoridades estão oferecendo alternativas à população para que ela comece a se dar conta de que o crime não é a melhor opção, e dar opções para suas vidas e suas comunidades”, diz Mendoza Mora. “Saúde, educação, recreação, esportes e outras atividades oferecidas pelo Exército são programas positivos.”

Combatendo as FARC com serviços e entretenimento

Ao proporcionar serviços médicos e entretenimento, o Exército está aliviando a dor causada a milhares de pessoas que foram deslocadas devido à luta entre as gangues e outros grupos maiores do crime organizado, como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), o Exército de Libertação Nacional (ELN), Los Rastrojos e Los Urabeños.

A guerra entre esses grupos é responsável pela maior parte do deslocamento, de acordo com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). O governo colombiano está atualmente engajado em diálogos de paz com as FARC, em Havana. Apesar dos esforços dos negociadores do governo para encontrar uma solução pacífica que poderia proteger a população civil, as FARC continuam atacando as forças de segurança em todo o país.

Esses confrontos causaram novos deslocamentos nos últimos anos.

A violência do crime organizado foi responsável pelo deslocamento de aproximadamente 4,7 milhões de pessoas na Colômbia.

Entre janeiro e junho de 2013, a violência – principalmente entre os grupos do crime organizado – deslocou 61 grandes grupos de pessoas (compostos por 50 indivíduos ou mais) em toda a Colômbia, de acordo com a ACNUR.

Ações do Exército reagem ao recrutamento do crime organizado

Segundo Mendonza Mora, os programas positivos do Exército ajudam a neutralizar as ações de recrutamento das FARC, do ELN e de outras organizações criminosas.

As ações do Exército estão ajudando pessoas que de outra forma não teriam como se beneficiar desses programas. “Mais de 40.000 pessoas (em áreas afetadas) em todo o país foram beneficiadas diretamente por esses programas”, afirma Mendoza Mora.

As ações do Exército estão funcionando “de forma muito positivo”, ressalta o analista de segurança.

Julieta Pelcastre contribuiu com esta reportagem.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 20
Carregando conversa