El Salvador na última fase de preparação do novo contingente de paz

Militares salvadorenhos viajarão a Mali em setembro para fornecer escoltas aéreas e terrestres, além de serviços de transporte.
Lorena Baires / Diálogo | 17 setembro 2018

Relações Internacionais

Os helicópteros MD 500 da Força Aérea Salvadorenha foram totalmente remodelados pela equipe de manutenção da Unidade Aérea de Helicópteros Armados. (Foto: Gloria Cañas, Diálogo)

Delegados da Organização das Nações Unidas (ONU) verificaram os equipamentos e a tecnologia de voo que serão utilizados pelo Contingente Aéreo Gavilán I, da Força Aérea Salvadorenha (FAS), quando o mesmo se incorporar, em setembro de 2018, à Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização do Mali (MINUSMA, em francês). A penúltima inspeção foi realizada no dia 30 de julho de 2018, na base da Unidade Aérea de Helicópteros Armados (UAHA) da 1ª Brigada Aérea da FAS, localizada no município de Ilopango.

“Os delegados avaliaram e verificaram as capacidades operacionais e logísticas de nosso pessoal, bem como o trabalho para potencializar três helicópteros de ataque MD 500, que serão destacados na cidade de Gao, no nordeste de Mali”, explicou o Coronel da FAS Eduardo Salazar, comandante da UAHA. “A avaliação foi satisfatória graças ao esforço e à dedicação de todos os membros, aos conhecimentos que eles têm e às habilidades que desenvolveram em campo.”

O contingente Gavilán I é formado por pilotos e especialistas em comunicação, manutenção e armamento. “Esse é o terceiro contingente aéreo destacado pela FAS na MINUSMA; ele trabalhará simultaneamente com o contingente Torogoz IV e com a Unidade de Aeródromo com Assistência na Terra”, disse o ministro da Defesa de El Salvador David Munguía Payés, durante a visita dos técnicos da ONU. “Sua missão será oferecer escolta aérea e terrestre e apoio de fogo aéreo, caso seja solicitado. Contribuímos para a segurança e para a paz internacional através do apoio às autoridades de transição.”

O trabalho mais marcante da equipe de manutenção do Gavilán I é a instalação completa de diversos sistemas em três helicópteros. “Nosso pessoal se destacou na adequação de todo o equipamento de aviônica exigido pelas Nações Unidas; ele inclui os sistemas GPS, transmissores localizadores de emergência, sistemas de áudio e vídeo de cabine para pilotos e comunicação VHF, além de um sistema de filtros para evitar a entrada de pós contaminantes no motor”, destacou o Suboficial da FAS Alex Fuentes, supervisor de manutenção da UAHA.

Os militares transportarão os três helicópteros em um avião de carga junto com os equipamentos de manutenção básica das aeronaves. “O equipamento maior será transportado via marítima, em contêineres; neles serão incluídos [camionetes], micro-ônibus e um gerador elétrico, bem como geradores de energia com capacidade média e grande”, explicou o Cel Salazar.

O contingente Gavilán I da Força Aérea Salvadorenha tem pilotos que se encarregarão de realizar escoltas aéreas e de apoio de fogo, caso seja solicitado. (Foto: Gloria Cañas, Diálogo)

Equipe de alto nível

A UAHA é uma equipe de elite dentro da FAS. “Nossa unidade está capacitada para realizar operações de reconhecimento e observação, transporte de pessoal, evacuação médica, escolta e apoio de fogo aéreo, caso seja necessário”, enfatizou o SO Fuentes.

O pessoal de manutenção que viajará a Gao foi selecionado de acordo com suas capacidades práticas e sua experiência. O contingente é formado por 12 militares especialistas em aviônica, radiocomunicação, eletricidade de aviação, instrumentos, fabricação de estruturas metálicas, armamento aéreo, abastecimento e equipes de apoio aeroespacial.

De acordo com as autoridades da FAS, o sucesso de ter sido aprovado na visita técnica dos delegados da ONU se deve ao treinamento constante do pessoal que viajará, especialmente o pessoal de manutenção, que foi treinado em diversas áreas em empresas de aviônica nos Estados Unidos. “Recentemente, eles participaram de uma capacitação para motores, para aprender a solucionar as falhas mais comuns que as máquinas possam apresentar. Isso nos torna mais competentes”, disse o Cel Salazar.

Para assumir a nova missão, a esquadrilha de manutenção tem um piloto de prova, responsável por analisar os equipamentos na terra e realizar voos de prova, a fim de se certificar de que a aeronave esteja em ótimas condições para sobrevoar os céus de Gao. “Nós também nos equipamos com peças de reposição, acessórios, ferramentas e equipamento de aviação”, garantiu o SO Fuentes.

O contingente salvadorenho se instalará no Camp Castor, integrado por militares da Alemanha, da Áustria, do Canadá, da Estônia, da Holanda, da Letônia, da Lituânia e da Suíça. O acampamento, administrado por militares alemães, foi construído em 2014 e está separado do chamado “superacampamento”, que abriga a quase totalidade das forças de paz. O contingente Gavilán I substituirá o grupo de helicópteros de ataque alemães e trabalhará de forma combinada com os países europeus e o Canadá, recém-instalados para fortalecer o acampamento com recursos aéreos de transporte.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 9
Carregando conversa