El Salvador melhora a qualidade de vida da população

Militares salvadorenhos e norte-americanos proporcionaram ajuda humanitária a comunidades indígenas.
Julieta Pelcastre/Diálogo | 15 junho 2017

Capacitação e Desenvolvimento

O Exército de El Salvador, com a assessoria de Assuntos Civis do Comando de Operações Especiais Sul, realizou uma brigada médica combinada em Ahuachapán. (Foto: Força Armada de El Salvador)

O Exército de El Salvador, com assessoria e apoio de Assuntos Civis do Comando de Operações Especiais Sul (SOCSOUTH, por sua sigla em inglês), oferece serviços básicos de saúde e infraestrutura a comunidades do centro e do oeste do país. Como resultado desse esforço de cooperação cívico-militar combinado, os habitantes do município de Guacotecti, na região de Cabañas, serão favorecidos com uma ponte para não ficarem isolados na época de frio. A obra, que começou em 2016, será entregue em 15 de junho aproximadamente.

“A estrutura que facilitará a passagem de pedestres é uma das obras mais relevantes que se desenvolveu na região de Cabañas. O projeto de coordenação com a equipe do SOCSOUTH beneficiará uma comunidade que, no inverno, ficava isolada”, disse à Diálogo o Coronel Juan Antonio Guardado Cruz, chefe de Assuntos Civis do Estado Maior Geral do Exército de El Salvador.

Esse importante projeto de infraestrutura foi construído com a assessoria de engenheiros militares do SOCSOUTH e uma unidade de soldados salvadorenhos responsável pela direção, controle e organização da logística para a materialização da iniciativa. A ponte foi feita com recursos obtidos pela prefeitura e a mão-de-obra foi da comunidade.

Médicos e remédios

Como parte da cooperação contínua entre El Salvador e os EUA em assistência social, o SOCSOUTH e o Destacamento Militar Nº 7 do Exército salvadorenho também organizaram, planejaram e desenvolveram uma campanha médica realizada em 22 de abril na região de Los Magueyes e áreas circundantes da região de Ahuachapán. A região cafeeira foi castigada em 2001 após a queda do mercado internacional de café.

“Sua população majoritariamente indígena não apenas foi castigada pela decadência do setor cafeeiro, mas também tem muitas necessidades, como a falta de acesso aos serviços de saúde. A região de Los Magueyes é uma das prioridades pelo grupo de pessoas que nela vivem”, informou à Diálogo Andrés Monroy, secretário municipal da prefeitura de Ahuachapán.

Aproximadamente 3.000 pessoas visitaram a clínica improvisada estabelecida no Centro Escolar Cantón Los Magueyes. Lá, receberam atendimento médico nas especialidades de medicina geral, odontologia, oftalmologia, ginecologia, pediatria, citologia, além da entrega de medicamentos prescritos de forma gratuita.

A equipe da missão humanitária era formada por 13 médicos e técnicos especialistas do SOCSOUTH e 53 membros do Exército salvadorenho. O grupo era composto por médicos e enfermeiros do Comando de Saúde Militar, por 109 pessoas de diferentes instituições que envolvem a saúde, a educação e as organizações civis, além da Polícia Nacional Civil, a USAID e a prefeitura.

Profissionais da saúde proporcionaram serviços de saúde em diferentes especialidades médicas durante a operação médica cívico-militar em Ahuachapán. (Foto: Força Armada de El Salvador).

Com o objetivo de cumprir com os serviços integrais de saúde, o destacamento militar envolveu veículos para o transporte de material e combustível para a instalação de conexões elétricas e adequação do local. Os integrantes do SOCSOUTH e as entidades civis levaram seu próprio equipamento para realizar seu trabalho médico. Um dia antes da jornada médica conjunta, a instituição militar salvadorenha realizou, no departamento de Ahuachapán, outra campanha de prevenção contra a dengue, a chikungunya e a zika, em conjunto com unidades do Ministério da Saúde.

“Os outros apoios foram feitos para obter uma aproximação com as crianças do lugar, para que vejam a Força Armada como amigos”, comentou o Cel Guardado. A assistência médica conjunta levou outras atividades como pinhatas, comediantes, concertos de música e cortes de cabelo para os assistentes da atividade cívico-militar. “As brigadas médicas cívico-militares são um verdadeiro exercício em benefício da sociedade”, acrescentou Monroy.

A soma dos esforços articulados

Os governos de El Salvador e dos Estados Unidos desenvolvem ações conjuntas em apoio à população vulnerável há décadas. “Essas ajudas foram intensificadas de forma escalonada desde 2012, resultando em quase uma atividade militar conjunta por mês. Trabalhamos em conjunto para ajudar a população mais vulnerável a melhorar sua qualidade de vida”, expressou o Cel Guardado.

Cada ação cívico-militar faz parte do planejamento anual da Força Armada de El Salvador. No início de cada ano, as unidades militares norte-americanas e salvadorenhas realizam uma série de reuniões em conjunto com as autoridades locais para definir o local que precisa desse tipo de apoio. Cada esforço interinstitucional leva uma média de três meses para materializar a ajuda social porque exige a coordenação de várias instituições.

Entre julho de 2014 e maio de 2015, houve 27 ações cívico-militares conjuntas com a participação de mais de 1.000 membros da instituição armada salvadorenha e 49 profissionais da saúde de diferentes instituições nacionais, como os ministérios da Saúde e da Educação. As atividades de benefício público apoiaram a outras 28.000 pessoas em várias partes do país, segundo o Relatório de Trabalhos de 2016, emitido pelo Ministério da Defesa Nacional.

Além dos exercícios conjuntos, as autoridades norte-americanas apoiam o país salvadorenho com exercícios de treinamento em preparação médica, conhecidos como MEDRETEs, para proporcionar tratamento médico gratuito a centenas de pessoas em várias comunidades. Esse esforço de atenção à saúde, coordenado pelo SOCSOUTH, melhora a preparação das tropas norte-americanas no exterior.

“Como instituições, devemos somar esforços articulados para minimizar as necessidades da população mais necessitada. A seguir, vamos desenvolver vários projetos em cooperação com o governo dos Estados Unidos, desde a infraestrutura de ruas até ações de prevenção da violência e desenvolvimento juvenil”, informou Monroy.

Outras mostras de apoio que as Forças Armadas norte-americanas têm com seus colegas salvadorenhos são a capacitação, exercícios e treinamentos conjuntos, seminários e operações contra o narcotráfico. “Todas essas ações causam um impacto positivo na população, ao gerar uma mudança de vida que é transcendental. Tomara que esses projetos continuem por muito tempo, porque há muita gente em El Salvador que precisa ser beneficiada”, concluiu o Cel Guardado.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 20
Carregando conversa