Desarticulada na Argentina quadrilha internacional de narcotraficantes

A Polícia argentina, em coordenação com suas homólogas do Uruguai e Paraguai, conseguiu desarticular uma quadrilha internacional que traficava drogas para a Europa e Ásia através de “mulas” que ingeriam cápsulas com cocaína, informou em 18 de setembro o Ministério da Segurança.
WRITER-ID | 20 setembro 2012

A Polícia argentina, em coordenação com suas homólogas do Uruguai e Paraguai, conseguiu desarticular uma quadrilha internacional que traficava drogas para a Europa e Ásia através de “mulas” que ingeriam cápsulas com cocaína, informou em 18 de setembro o Ministério da Segurança.

A Polícia realizou, em 15 e 16 de setembro, 14 buscas em diferentes bairros de Buenos Aires, entre eles uma favela, onde foram detidos 11 homens e três mulheres de nacionalidades peruana, holandesa, romena e sul-africana, informou a instituição argentina em um comunicado.

Foram apreendidos nas invasões 6 quilos de cocaína em diferentes estados, substâncias para a fabricação da droga, elementos de preparo para a ingesta, celulares, computadores, dinheiro em espécie e documentos.

A investigação, que foi articulada com as polícias do Uruguai e do Paraguai, países onde também se recrutam “mulas”, havia começado há três meses, depois da detenção de quatro pessoas que tentavam viajar ao Brasil, tendo a Europa como destino final.

“A investigação discreta e profissional da Polícia de Segurança Aeroportuária permitiu que se chegasse a essa organização criminosa que se dedicava ao tráfico de entorpecentes, com essa modalidade mais brutal para as pessoas que levam a droga em seus organismos”, disse a ministra da Segurança, Nilda Garré.

Após uma meticulosa perseguição e análise de 700 horas de escutas telefônicas, os investigadores conseguiram estabelecer data e hora da partida de duas “mulas” do aero parque Jorge Newbery, na cidade de Buenos Aires, para São Paulo, tendo Doha (Qatar) como último destino.

Essas pessoas foram submetidas, em 16 de setembro, no terminal aéreo, ao equipamento de raios X conhecido como “Body Scan”, que confirmou a presença de cápsulas com drogas em seus organismos.

No início de setembro, a Polícia havia desarticulado outra organização de narcotraficantes integrada por cidadãos dominicanos, que utilizava indigentes para transportar, em seu corpo, cocaína para a Europa.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 19
Carregando conversa