Programa colombiano PISAJE de subtenentes e sargentos é um sucesso

Subtenentes e sargentos seniores da Colômbia e do Brasil visitam a Academia de Subtenentes e Sargentos dos EUA.
Steven McLoud/Diálogo | 7 junho 2019

Capacitação e Desenvolvimento

O Subtenente do Exército da Colômbia Carlos Arturo Gomez Rincon faz uma palestra durante o PISAJE 11, no Comando Sul dos Estados Unidos. (Foto: Terceiro-Sargento Ashley Dotson, Exército Sul dos EUA)

Durante duas semanas, os subtenentes e sargentos do Exército da Colômbia – além de quatro do Brasil – participaram do Programa Integral para Subtenentes e Sargentos Seniores (PISAJE, em espanhol) bianual, realizado nos Estados Unidos. O PISAJE é um engajamento de militares entre as Forças Armadas da Colômbia e a Academia Conjunta de Subtenentes dos Estados Unidos.

O Subtenente do Exército da Colômbia Carlos Arturo Gomez Rincon e o Subtenente do Exército da Colômbia Argemiro Posso (R), conselheiro sênior alistado para o Estado-Maior Conjunto da Colômbia, ouvem uma palestra durante o PISAJE 11, no Comando Sul dos EUA. (Foto: Terceiro-Sargento Ashley Dotson, Exército Sul dos EUA)

A visita aos Estados Unidos foi o ponto culminante de um curso de cinco meses que os subtenentes e sargentos colombianos fazem antes de se formar e que consiste de um currículo acadêmico que inclui táticas, administração logística e cursos de liderança.

Durante a primeira semana da visita aos EUA, realizada no Forte Bliss, na fronteira entre o Texas e o Novo México, os participantes assistiram a palestras e painéis sobre liderança e competências. Enquanto estavam no Forte Bliss, os membros do Exército Sul dos EUA (ARSOUTH, em inglês) e as delegações da Colômbia e do Brasil realizaram treinamento de prontidão física e obtiveram uma visão geral sobre o Curso Básico de Líderes do Exército dos EUA na Academia de Subtenentes e Sargentos de Fort Bliss.

“Ao visitarmos o Forte Bliss, aprendemos sobre o processo educacional na sua academia de subtenentes e sargentos, o que foi muito importante para nós”, disse o Subtenente Argemiro Posso, conselheiro sênior militar alistado da Colômbia para o Estado-Maior Conjunto. “Poderemos levar essas lições aprendidas de volta para a Colômbia e incorporá-las em nosso currículo. em nossas próprias academias”, disse.

“Para mim, o ponto alto foi a academia de subtenentes e sargentos e a organização, o profissionalismo e a estrutura que eles têm”, acrescentou o Subtenente do Exército da Colômbia Carlos Arturo Gómez Rincón. “Isso abre as portas para que possamos um dia, e esperamos que seja em breve, com o apoio do comandante do nosso Exército, bem como do comandante do ARSOUTH, formar nossos próprios futuros líderes e criar nossa própria academia de subtenentes e sargentos para toda a América Latina.”

Depois da visita ao Forte Bliss, os militares foram então levados ao Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) em Miami, Flórida, para a segunda semana, onde assistiram a palestras para aprender sobre o foco interagencial, além de experiências conjuntas de diferentes componentes e organizações de Estado-Maior Conjunto. As melhores práticas foram aprendidas quando os componentes fizeram palestras sobre as operações que realizam e como interagem com as Forças Armadas colombianas, no combate às ameaças comuns entre a Colômbia e os Estados Unidos.

Um membro da Força-Tarefa Conjunta Interagencial Sul faz uma palestra sobre capacidades, durante o PISAJE 11, no Comando Sul dos EUA. (Foto: Terceiro-Sargento Ashley Dotson, Exército Sul dos EUA)

Durante uma das palestras, o Almirante de Esquadra Craig S. Faller, comandante do SOUTHCOM, falou aos subtenentes e sargentos sobre a importância do relacionamento que o comandante e o subtenente do comando (CSM, em inglês) devem ter – um relacionamento criado com base na confiança mútua e na honestidade.

“Ele deve ser capaz de me olhar nos olhos e me dar um feedback honesto e sincero, mas também me avisar quando eu estiver errado”, disse o Alte Esq Faller, acrescentando que um CSM deve ser um líder presente e o pulso da organização.

O foco dessa última edição do PISAJE foi a liderança executiva, ministrada pelo Centro de Liderança de Excelência de Subtenentes e Sargentos e da Academia de Subtenentes do ARSOUTH, bem como operar em um ambiente conjunto fornecido por subtenentes seniores líderes do SOUTHCOM. A próxima edição do PISAJE está programada para ser realizada entre outubro e novembro.

“O plano é continuar o PISAJE e obviamente seguimos as orientações do SOUTHCOM”, disse o Subtenente Jose Bueno da Divisão de Cooperação de Segurança do ARSOUTH. “Os EUA continuam a ser o parceiro preferencial, porque compartilhamos muitos conhecimentos com eles, trocamos ideias e lições aprendidas, as quais eles levam consigo e as aplicam no que consideram melhor para seu exército.”

O mantra do ARSOUTH é ‘Juntos Podemos’ e esse sentimento se reflete nos subtenentes e sargentos colombianos.

“Os Estados Unidos e a Colômbia compartilham ameaças comuns e podem sempre contar conosco para ajudar a combater tais ameaças, disse o S Ten Posso. “Temos uma aliança forte e uma grande amizade.”

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 6
Carregando conversa