Militares da Colômbia e da Guatemala fazem intercâmbio de experiências

A delegação de oficiais colombianos visitou a Guatemala como parte da sua viagem internacional de instrução.
Jennyfer Hernández/Diálogo | 15 novembro 2018

Relações Internacionais

Uma delegação de 27 oficiais colombianos visitou a Guatemala, como parte de sua viagem internacional de instrução. (Foto: Ministério da Defesa da Guatemala)

No início de setembro, uma delegação de oficiais da Escola Superior de Guerra General Rafael Reyes Prieto (ESDEGUE) das Forças Militares da Colômbia fez escala na Guatemala, como parte da sua viagem internacional de instrução. Durante a sua estada, os oficiais colombianos intercambiaram experiências com seus homólogos do Comando Superior de Educação do Exército da Guatemala (COSEDE), com sede na Cidade da Guatemala.

O objetivo da visita, realizada entre os dias 3 e 7 de setembro, foi conhecer os aspectos políticos, econômicos, socioculturais e militares do país centro-americano. O grupo também buscou intercambiar conhecimentos com seus homólogos guatemaltecos em termos de segurança de fronteiras, luta contra o crime organizado e tráfico de ilícitos. Além disso, o encontro permitiu que se fortalecessem os laços de amizade entre o Exército da Guatemala e as Forças Militares da Colômbia.

“Nós costumamos dizer que são visitas de estudos geoestratégicos, onde países como México, El Salvador, Estados Unidos, Brasil, Colômbia e Guatemala fazem viagens a cada 365 dias para fortalecer os conhecimentos dos nossos sistemas educacionais militares”, disse à Diálogo o Coronel do Exército da Guatemala Francis Rossito, diretor do Curso de Comando de Estado-Maior do COSEDE. “Os cursos são importantes em todas as forças armadas, porque são requisitos acadêmicos necessários para a ascensão aos postos e patentes mais altos dentro das instituições.”

A paz na Guatemala

A delegação colombiana, formada por 27 oficiais – alunos do curso de Estado-Maior da ESDEGUE – e liderada pelo General de Brigada do Exército Nacional da Colômbia César Augusto Parra León, comandante da Sexta Divisão do Exército, participou de várias oficinas e também de treinamentos com alunos do curso de Comando do Estado-Maior do COSEDE. De acordo com o Cel Rossito, entre os temas abordados, três se destacaram: o processo de paz na Guatemala, a luta contra o tráfico de drogas e outros ilícitos e a guerra cibernética.

Os oficiais colombianos tiveram a oportunidade de assistir uma conferência a cargo de Manuel Conde Orellana, deputado do Congresso da Guatemala, sobre as perspectivas da sociedade civil e o processo de paz em seu país. Conde explicou as décadas de confrontos com grupos armados no país e analisou os eventos que abriram o caminho para as negociações de paz, assinadas no final de 1996.

“O processo pelos quais os colombianos estão passando no momento é muito similar ao que nós vivemos. [...] Nós lhes transmitimos toda a nossa experiência nos processos de paz”, explicou o Cel Rossito. “Compartilhamos a nossa situação, tanto no âmbito político-estratégico quanto no estratégico-operacional, e as maneiras como conseguimos que a nossa doutrina de guerra de combate à subversão emigrasse para uma doutrina diferente, para dar início às operações de cooperação integral e apoiar as forças de segurança civil.”

Além disso, os estudantes colombianos aprenderam sobre os métodos internos de adaptação do Exército da Guatemala após os acordos de paz e seus avanços depois de duas décadas. O conteúdo da informação, como disse à Diálogo o Coronel do Exército Nacional da Colômbia Robinson Arango, militar adjunto da Embaixada da Colômbia na Guatemala, foi muito bem recebido.

A delegação de oficiais colombianos aprendeu com seus homólogos guatemaltecos sobre o processo de paz no país centro-americano, estreitando seus laços de amizade. (Foto: Ministério da Guatemala)

“A Guatemala tem 20 anos de experiência em processos de paz e nós estamos apenas entrando nessa questão”, comentou o Cel Arango. “Assim sendo, vemos nesse país o que se pode e não se pode fazer. Os erros e acertos são muito valiosos porque aprendemos tudo isso para que possamos ver o que é preciso melhorar como Exército colombiano.”

 Aprendizado mútuo

Os oficiais guatemaltecos aprenderam com as experiências da Colômbia na luta contra o narcotráfico e suas operações para desarticular as quadrilhas criminosas. Os estudantes centro-americanos também foram instruídos sobre os métodos que as instituições militares empregam para identificar e destruir laboratórios de drogas, erradicar cultivos ilícitos e substituí-los por cultivos legais.

Além disso, a delegação colombiana compartilhou seus conhecimentos em segurança e defesa cibernéticas, explicando os trabalhos das suas instituições bem como a missão do Comando Conjunto Cibernético das Forças Militares, que busca defender os interesses nacionais. A Guatemala lançou a sua estratégia nacional de segurança cibernética em julho de 2018.

Com disciplina e paixão

Os oficiais colombianos aproveitaram a viagem para visitar a Brigada de Forças Especiais na Base Aérea Comando do Norte, no estado de Petén. Após a visita, eles aprenderam sobre os treinamentos das forças de elite guatemaltecas.

“A estada na Guatemala foi uma experiência maravilhosa”, disse o Cel Arango. “Estamos impressionados com a sua disciplina, sua entrega e a paixão com que eles se instruem.”

A delegação colombiana encerrou sua visita à Guatemala com um passeio pelo centro histórico da Cidade da Guatemala. O grupo prosseguiu sua turnê internacional até o Equador.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 25
Carregando conversa