Colômbia continua a atacar grupos criminosos

Com a última captura, a Colômbia enfraquece o Grupo Armado Organizado Residual Comissão Terceira.
Myriam Ortega/Diálogo | 26 fevereiro 2019

Ameaças Transnacionais

Unidades do GAULA Cauca entram à força em uma casa na região. As autoridades fizeram duas tentativas de captura ao indivíduo conhecido como José Tombe, antes de efetuar a sua prisão. (Foto: Exército Nacional da Colômbia)

Em meados de janeiro, as Forças Armadas da Colômbia conseguiram prender José Nabel Jiménez Tronsoco, conhecido como José Tombe, chefe das redes de apoio ao Grupo Armado Organizado Residual (GAOR) Comissão Terceira, que pratica crimes no sudoeste do país. Unidades do Grupo de Ação Unificada pela Liberdade Pessoal (GAULA) do estado de Cauca lideraram uma operação conjunta que resultou na captura do criminoso.

“[A captura] faz parte de um trabalho conjunto, coordenado, interinstitucional e interagências com a Promotoria Geral da Nação e as unidades do GAULA”, disse à Diálogo o Tenente-Coronel do Exército Nacional da Colômbia Andrés Bretón Vargas, comandante do GAULA Cauca. “Foi um trabalho focado nos crimes de extorsão e sequestro, em cumprimento ao Plano Bicentenário Heróis da Liberdade.”

Introduzido pelas Forças Militares da Colômbia em dezembro de 2018, o plano entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2019, com o objetivo de garantir a segurança e a estabilidade do Estado no decorrer do ano inteiro. Proteger a população e as infraestruturas, bem como neutralizar o sistema de ameaças dos grupos armados organizados são as prioridades.

Dois anos de rastreamento

O trabalho de inteligência das autoridades colombianas contra o GAOR Comissão Terceira e o indivíduo conhecido como José Tombo começou em 2017. “Vínhamos fazendo um rastreamento do vulgo José Tombe em um trabalho coordenado também com nossa Força Aérea Colombiana, através de uma investigação técnica, profunda e especializada”, disse o Ten Cel Bretón. “Conseguimos identificar o modus operandi desse indivíduo.”

As investigações determinaram que a estrutura praticava crimes em diversos municípios do estado de Cauca. O indivíduo conhecido como José Tombe era encarregado das extorsões e sequestros com o objetivo de obter recursos para financiar a rede criminosa e prestava contas ao indivíduo conhecido como Caqueteño, líder do GAOR Comissão Terceira, e ao indivíduo conhecido como Mauricio, o segundo no comando.

“Esta pessoa era a encarregada de praticar todas as extorsões e movimentar a parte logística dessa estrutura”, disse à Diálogo o General de Brigada do Exército Nacional da Colômbia Jorge Herrera Díaz, comandante da 29ª Brigada do Exército, em Popayán, capital de Cauca. “Em várias ocasiões, esse indivíduo era quem distribuía os panfletos onde eram exigidas as quantias em dinheiro aos comerciantes.”

As autoridades intensificaram o trabalho de inteligência em julho de 2018, em função do aumento das extorsões na região. Os valores exigidos das vítimas incrementaram de US$ 300 até mais de US$ 60.000, segundo o Ten Cel Bretón.

O indivíduo conhecido como José Tombe foi detido em um posto de gasolina no município de Cajibío, no estado de Cauca. (Foto: Exército Nacional da Colômbia)

“Aqueles que não fizessem o pagamento dessas extorsões sofriam atentados terroristas, como o lançamento de artefatos explosivos, granadas e homicídios”, disse o oficial. “Através dos trabalhos de inteligência fomos capazes de identificar quem seriam os responsáveis por esses atos contra vários comerciantes, transportadores, sindicatos de cafeicultores, pecuaristas, dos quais se exigia essa cota extorsiva em nome da Comissão Terceira.”

A captura

“Nós vínhamos realizando várias operações”, disse o Gen Bda Herrera. “Na verdade, já havíamos tentado duas vezes capturar esse indivíduo e, em ambos os casos, por ele ser da região, manipulou a população civil para criar tumultos contra nós.”

Devido ao monitoramento do GAULA Cauca, o criminoso foi encontrado em um posto de gasolina do município de Cajibío. “Ao perceber a presença das tropas, ele tentou se esquivar da nossa equipe. Tentou nos enganar, mas conseguimos descobrir que ele estava fugindo em uma motocicleta”, explicou o Gen Bda Herrera.

O criminoso foi posto à disposição da Promotoria de Popayan. A captura se soma a outras conquistas obtidas contra o GAOR Comissão Terceira.

“Com a prisão de José Tombe, já são cinco capturas”, disse o Gen Bda Herrera. “Estas capturas fazem parte de nove neutralizações que já fizemos contra essa estrutura. Seu enfraquecimento tem sido permanente.”

Trabalho combinado

O Gen Bda Herrera disse que a população desempenhou um papel importante para o sucesso do esforço conjunto. “Essa conquista não teria sido possível se a população não tivesse decidido denunciar a extorsão”, disse o oficial.

O Ten Cel Bretón também destacou o trabalho especializado dos GAULAs e sua contribuição para uma Colômbia livre de crimes. “A força que os GAULAs militares podem ter para desferir esses golpes estratégicos traz tranquilidade e bem-estar à comunidade e à sociedade”, concluiu.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 93
Carregando conversa