Cibersegurança Destaca o Primeiro CCIB a ser Realizado entre Estados Unidos e Colômbia

​No início de junho, o Coronel do Exército dos EUA, Jonathon R. Moelter, chefe da Diretoria de Sistemas de Comunicação (J-6) do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM, por sua sigla em inglês), e co-chairman do Conselho de Comando, Controle e Interoperabilidade EUA-Colômbia (CCIB, por sua sigla em inglês), liderou uma delegação norte-americana de 13 membros que participou do primeiro fórum CCIB EUA-Colômbia. ​
Major Jay H. Anson, sub-chefe da Divisão de Cibersegurança e David Morton, sub-chefe da Divisão de ligações com o teatro de operações, Comando Sul dos EUA | 7 julho 2016

Relações Internacionais

O Tenente-Coronel Aaron Sampson, do Centro Cibernético Conjunto do Comando Sul, lidera o Grupo de Trabalho de Operações do Ciberespaço em Bogotá, Colômbia. (Foto: Major Jay H. Anson, SOUTHCOM)

No início de junho, o Coronel do Exército dos EUA, Jonathon R. Moelter, chefe da Diretoria de Sistemas de Comunicação (J-6) do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM, por sua sigla em inglês), e co-chairman do Conselho de Comando, Controle e Interoperabilidade EUA-Colômbia (CCIB, por sua sigla em inglês), liderou uma delegação norte-americana de 13 membros que participou do primeiro fórum CCIB EUA-Colômbia.

Com onze anos de preparação, o fórum CCIB EUA-Colômbia, com uma semana de duração, permitiu que os Estados Unidos e nações parceiras articulassem e validassem comando, controle, comunicações, computadores, inteligência, vigilância e requisitos operacionais de reconhecimento (C4ISR) que atendam às metas e estratégias de cooperação de ação mutuamente acordadas. As conversas tiveram como objetivo o aprimoramento da interoperabilidade das forças operacionais ao definir requisitos, troca de informações sobre as iniciativas do C4ISR e resolução de problemas e deficiências em tempo hábil.

O primeiro CCIB EUA-Colômbia deu ênfase às Operações no Ciberespaço e no aprimoramento da capacidade das Forças Armadas Colombianas para se defender contra ataques cibernéticos. Uma equipe de avaliação de segurança cibernética, composta por membros da Agência de Defesa de Sistemas de Informações e da equipe de Cibersegurança do SOUTHCOM, realizou um exercício de treinamento simultâneo com o Comando Cibernético da Colômbia, o qual refletiu de perto a Inspeção de Prontidão Cibernética para redes do Comando Combatente Global Cibernético dos EUA. Especialistas no assunto, tanto dos Estados Unidos como da Colômbia, forneceram briefings detalhados sobre defesa cibernética e como lidar com incidentes cibernéticos, além de compartilhar diversas lições aprendidas e melhores práticas. Vale notar que 33 itens que compõem ações de iniciativas de segurança cibernética, programas de intercâmbio educacional e plataformas de aviação foram propostos, revisados e validados.

“O CCIB é um fórum que resulta em ações e não apenas conversas", disse o Cel Moelter. “É uma excelente oportunidade para unir esforços conjuntos e provar que o SOUTHCOM é um parceiro importante para a Colômbia e para a região.”

Em um recente depoimento ao Congresso dos EUA, o Comandante do SOUTHCOM, o Almirante da Marinha Kurt W. Tidd, destacou a importância da Colômbia para a região. “Com todo o sangue e riqueza que já sacrificaram, e com tudo o que continuam a fazer para exportar segurança para a região, o povo da Colômbia mais do que mereceu o nosso contínuo apoio”, disse o Almirante.

Convocado por ordem do Chefe do Estado Maior das Forças Armadas, o CCIB é um fórum multidisciplinar, bilateral e multiagência que conta com a participação de diversas agências e visa abordar iniciativas de interoperabilidade combinadas em uma base mutuamente aceitável, resultante do Acordo Comunicações e Segurança da Informação (CISMOA, por sua sigla em inglês), celebrado entre Estados Unidos e Colômbia em 2004. O CISMOA estabelece o arcabouço jurídico e os mecanismos para a transferência e salvaguarda de produtos, informações e especificações de gerenciamento de configuração da Segurança de Comunicações (COMSEC), necessários para estabelecer e reforçar parcerias estratégicas de longo prazo e requisitos de interoperabilidade mútua C4ISR, quando desenvolvidos e aprovado pelos co-chairmen bilaterais do CCIB.

Durante a cerimônia de encerramento, o Brigadeiro Oscar Alberto Quintero González, co-chairman e Diretor de Comando e Controle (J8), da Colômbia observou, “As relações e o intercâmbio de informações são extremamente importantes para fortalecer a interoperabilidade em comando e controle, defesa cibernética e comunicações. A Colômbia permanecerá proativa e provará que o processo do CCIB funciona”.

Um evento de continuação do CCIB EUA-Colômbia está agendado para novembro de 2016.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 60
Carregando conversa