Marinha do Brasil comemora 211 anos do Corpo de Fuzileiros Navais

O presidente do Brasil Jair Bolsonaro presidiu a solenidade, que contou com a presença do Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante das Forças do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, Sul.
Nelza Oliveira/Diálogo | 8 abril 2019

Capacitação e Desenvolvimento

A cerimônia de comemoração dos 211 anos do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil aconteceu na histórica Fortaleza de São José da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. (Foto: Nelza Oliveira, Diálogo)

A Marinha do Brasil (MB) comemorou os 211 anos do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) em uma cerimônia militar na histórica Fortaleza de São José da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, no dia 7 de março de 2019. A solenidade reuniu diversas autoridades e militares brasileiros e de nações parceiras, entre eles o Contra-Almirante do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Michael F. Fahey III, comandante das Forças do Corpo de Fuzileiros Navais , Sul. Representantes do Chile, México e Peru também participaram do evento.

O Contra-Almirante do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil Nélio de Almeida (esq.) e o Contra-Almirante do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Michael F. Fahey III assinaram um plano de cinco anos para criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento conjunto entre fuzileiros navais do Brasil e dos EUA. (Foto: Cabo do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Amy Phan, MARFORSOUTH)

O Almirante de Esquadra (FN) Alexandre José Barreto de Mattos, comandante-geral do CFN, lembrou que o CFN tem origem no contingente da Brigada Real da Marinha de Portugal que escoltou a família real ao Brasil, em 1808, e instalou no ano seguinte seu quartel na Ilha das Cobras, onde permanece. “Hoje, o Corpo de Fuzileiros Navais completa 211 anos, consolidado como uma força de caráter anfíbio e expedicionário por excelência, formada em sua totalidade por militares voluntários e totalmente comprometidos com o serviço, em permanente condição de pronto emprego, aprestados para cumprir qualquer missão recebida, em um largo espectro de atividades, quando e onde se fizerem presentes os interesses nacionais”, disse o Alte Esq Alexandre.

Brasil e Estados Unidos

O Alte Esq Alexandre mencionou a importância dos intercâmbios com diversas nações parceiras na formação do CFN. “Isto vem permitindo o envio de um maior número de militares ao exterior – oficiais, aspirantes da Escola Naval e praças –, melhorando, sem sombra de dúvidas, a disseminação dos conhecimentos profissionais obtidos. Tais ações são empreendidas de forma a colocar nossos fuzileiros navais em contato com aquilo que está sendo desenvolvido de melhor e mais atual em diferentes corpos de fuzileiros navais ao redor do mundo”, declarou.

Dias antes, a MB, através do seu twitter, anunciou que o Contra-Almirante do CFN Nélio de Almeida e o C Alte Fahey tinham assinado um plano de cinco anos para criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento conjunto entre fuzileiros navais do Brasil e dos Estados Unidos. “O Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil e a Força do Corpo de Fuzileiros Navais Sul desfrutam de uma forte relação caracterizada pelo respeito mútuo, pela colaboração e por uma visão compartilhada no âmbito da cooperação em segurança. Minha presença no 211º aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil reforça o compromisso do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA e os vínculos fraternos com um dos nossos parceiros mais fortes na região”, afirmou à Diálogo o C Alte Fahey.

Durante a cerimônia, o presidente do Brasil Jair Bolsonaro homenageou o Cabo Fuzileiro Naval de Infantaria Gilmário Alerson da Silva Lima, eleito Fuzileiro Padrão 2018 pelo alto padrão moral e profissional demonstrado ao longo da carreira. (Foto: Assessoria de Imprensa do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil)

“Os vínculos dos Estados Unidos com o Brasil, em geral, e entre os nossos dois corpos de fuzileiros navais, em particular, são importantes porque esses vínculos facilitam a cooperação para enfrentar desafios mútuos na nossa região e em todo o mundo. O sucesso do nosso parceiro é o nosso sucesso e estamos ansiosos para celebrar este e outros futuros eventos com eles”, acrescentou o C Alte Fahey.

Participação feminina

A cerimônia também marcou a entrega da medalha Mérito Anfíbio a 37 militares brasileiros que se destacaram como combatentes anfíbios. No evento, também foi homenageado o Cabo Fuzileiro Naval de Infantaria Gilmário Alerson da Silva Lima, eleito Fuzileiro Padrão 2018 pelo alto padrão moral e profissional demonstrado ao longo da sua carreira.

Sendo a véspera do Dia Internacional da Mulher, o Alte Esq Alexandre ressaltou que o CFN já conta com três oficiais mulheres e espera ampliar a participação feminina. O oficial citou o 1º Estágio de Operações de Paz para Mulheres, uma parceria entre a MB e a Organização das Nações Unidas (ONU), que capacitou 40 mulheres, entre militares da MB e de outras forças armadas e representantes de instituições civis, para participar de diferentes missões da ONU, entre elas as que são conduzidas no Líbano, no Saara Ocidental, na República Centro-Africana, no Sudão e no Sudão do Sul.

“Acrescento ainda que se avizinha o dia em que teremos em nossas unidades operativas jovens mulheres, oficiais e praças do Corpo de Fuzileiros Navais, formadas pela Escola Naval, bem como pelos nossos centros de formação de soldados. Essas militares seguirão os passos das três oficiais femininas que, oriundas do Corpo de Praças do CFN, podem ser consideradas as precursoras das mulheres no Quadro de Oficiais Fuzileiros Navais. Aliás, essa maior participação feminina é, porque não dizer, uma demanda do nosso tempo, à qual procuramos nos adequar”, finalizou o Alte Esq Alexandre.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 5
Carregando conversa