Marinhas do Brasil e Estados Unidos promovem ação ecológica de limpeza em praia no Rio de Janeiro

Os militares americanos do USS Carter Hall aproveitaram a participação no exercício multinacional UNITAS, sediado de 19 a 30 de agosto no Brasil, para unirem-se aos brasileiros na ação realizada na praia de Icaraí, estado do Rio de Janeiro.
Nelza Oliveira / Diálogo | 7 outubro 2019

Capacitação e Desenvolvimento

Os militares americanos do USS Carter Hall aproveitaram a participação no exercício multinacional UNITAS, sediado de 19 a 30 de agosto no Brasil, para unirem-se aos brasileiros na ação realizada na praia de Icaraí, no Rio de Janeiro. (Foto: Nelza Oliveira, Diálogo)

A Marinha do Brasil (MB) realizou no dia 20 de agosto de 2019 uma ação de limpeza na praia de Icaraí, a 20 quilômetros do Rio de Janeiro, com a participação de voluntários militares americanos do navio USS Carter Hall. Participaram da ação cerca de 100 militares, sendo 20 deles dos Estados Unidos. Segundo a MB, a partir de estimativas globais, todos os anos, mais de 8 milhões de toneladas de lixo vão parar nas águas do planeta; algo em torno de 60 a 90 por cento dos resíduos são diferentes tipos de plástico.

O Contra-Almirante Gilberto Santos Kerr (à esq.), comandante da 1ª Divisão da Esquadra da Marinha do Brasil, e o Capitão de Corveta da Marinha dos EUA Rick Williams, capelão do USS Carter Hall, falam sobre a importância da ação ecológica conjunta. (Foto: Nelza Oliveira, Diálogo)

“É uma ação cívico-social de conscientização ambiental para a preservação do meio ambiente. A Marinha apoia todas as ações que têm relação com a preservação do meio ambiente marinho e o Plano Nacional de Combate ao Lixo do Mar, do Ministério do Meio Ambiente”, disse o Contra-Almirante Gilberto Santos Kerr, comandante da 1ª Divisão da Esquadra da MB.

Os mutirões de limpeza de praias e mangues são uma das 30 ações previstas no plano, que inclui também: instalação de dispositivos de retenção, como redes coletoras em galerias pluviais e barreiras flutuantes em rios e afluentes; estímulo à coleta seletiva e logística reversa, onde as indústrias devem receber de volta os materiais que produziram, dando o destino certo ao que não tem mais uso para a população nos 274 municípios costeiros ao longo de 8.500 km de costa; e incentivo a projetos de inovação tecnológica para aproveitamento do plástico recolhido do ambiente marinho.

A MB, cuja missão constitucional é zelar pela água, fiscalizar a poluição hídrica proveniente de navios e a segurança da navegação e salvaguardar a vida humana no mar, tem interesse especial no plano. Selando esse compromisso, a MB assinou no dia 28 de agosto, com o Ministério da Defesa, o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério Público Federal, um acordo de cooperação técnica sobre combate ao lixo marinho e de proteção das águas jurisdicionais brasileiras.

As ações da MB no acordo vão desde vigilância e combate a crimes ambientais até a prevenção e auxílio no combate à poluição de mares e rios na Amazônia Azul, área no mar de 3,5 milhões de quilômetros quadrados, que concentra as riquezas minerais e petrolíferas brasileiras.

“O mar une a todos, preserve-o” foi o lema da ação cívico-social de conscientização ambiental para a preservação do meio ambiente. (Foto: Nelza Oliveira, Diálogo)

“A atribuição da Marinha está relacionada com a prevenção da poluição hídrica; entretanto, por trabalharmos no mar, para a gente é sempre importante manter os mares e praias limpas. Então, isso faz parte de uma ideia de realmente colaborar com esse espírito de preservação”, acrescentou o C Alte Kerr.

Colaboração americana

Os militares americanos do USS Carter Hall aproveitaram a participação no exercício multinacional UNITAS, sediado de 19 a 30 de agosto no Brasil, para unirem-se aos brasileiros na ação.

“Há 13 países participando do UNITAS, mas desta vez os americanos souberam que nós íamos fazer uma ação de consciência ecológica e solicitaram participar também. Para eles é importante fazer parte desse tipo de ação”, enfatizou o C Alte Kerr. “O pessoal da Marinha dos EUA é bem participativo, é voluntário, estão sempre muito engajados nas atividades que têm esse cunho cívico-social.”

Os militares brasileiros e americanos completaram o trabalho de recolhimento manual dos resíduos na área, totalizando 80 quilos no final da ação. “A ideia é que a ação possa impactar as pessoas que estão passando na praia de uma forma positiva e que elas também possam vir a ter essa participação na preservação do meio ambiente marinho”, concluiu o C Alte Kerr.

O Capitão de Corveta da Marinha dos EUA Rick Williams, capelão do USS Carter Hall, falou sobre a importância da ação conjunta. “É maravilhoso o fato de podermos chegar juntos aos parceiros, fazer amigos de verdade, enquanto limpamos essa praia. Demonstra a parceria e a amizade que une nossas duas nações”.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 6
Carregando conversa