Brasil fecha parceria com Guarda Nacional de Nova York

O acordo visa promover o intercâmbio de conhecimentos e experiências entre o pessoal de ambas as instituições, com treinamentos e exercícios em áreas específicas de defesa nacional.
Andréa Barretto/Diálogo | 22 maio 2019

Relações Internacionais

Oficiales brasileños y estadounidenses participaron en la ceremonia de firma del Programa de Asociación Estatal entre la Guardia Nacional de Nueva York y las Fuerzas Armadas de Brasil. De izquierda a derecha: el General de la Fuerza Aérea de los EE. UU. Joseph Lengyel, el Almirante de la Marina de los EE. UU. Craig S. Faller, el Contraalmirante de la Marina de Brasil Guillerme da Silva Costa y el General de División del Ejército de los EE. UU. Raymond F. Shields. (Foto: Ministerio de Defensa de Brasil)

Em 14 de março de 2019, a Guarda Nacional de Nova York e as Forças Armadas do Brasil assinaram uma declaração conjunta estabelecendo o Programa de Parceria Estatal (SPP, em inglês) entre as duas instituições. A iniciativa faz parte do programa que une guardas nacionais de estados norte-americanos com as forças armadas de nações parceiras.

“O estabelecimento dessa parceria foi decorrente do oferecimento, pela parte americana, de participação no SPP. As capacidades e a prontidão operacional das unidades componentes das diversas guardas nacionais dos EUA apresentaram-se como fatores motivadores à essa concretização”, contou o Contra-Almirante da Marinha do Brasil Guilherme da Silva Costa, subchefe de Assuntos Internacionais do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.

Em representação do Ministério da Defesa brasileiro, o C Alte Silva Costa assinou a declaração juntamente com o General de Brigada do Exército dos EUA Raymond F. Shields, comandante da Guarda Nacional de Nova York e oficial assistente do Estado de Nova York, em cerimônia no Museu Intrepid Sea, Air & Space, em Manhattan, Nova York. “A Guarda Nacional de Nova York deseja desenvolver um relacionamento construtivo com o Brasil, que permita que aprendamos uns com os outros”, afirmou o Gen Bda Shields.

O evento contou também com a presença do Almirante de Esquadra Craig S. Faller, comandante do Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM), e do General da Força Aérea dos EUA Joseph L. Lengyel, chefe do Gabinete da Guarda Nacional. O Alte Esq Faller lembrou dos valores que unem historicamente as instituições de segurança e defesa brasileiras e norte-americanas. “Sendo as duas maiores democracias do hemisfério, o nosso relacionamento tem sido construído com uma promessa duradoura entre os dois países: ser firmes, comprometidos e coparceiros similares, que trabalham em conjunto para construir um hemisfério cooperativo, próspero e seguro”, destacou.

O Alte Esq Faller anunciou, no dia 7 de fevereiro de 2019, em depoimento em uma comissão do Senado dos Estados Unidos, que um general brasileiro passaria a integrar a estrutura do SOUTHCOM em 2019. Poucos dias depois, entre 10 e 13 de fevereiro, o oficial fez uma visita ao Brasil, quando participou de uma série de reuniões para discutir sobre cooperação e acordos bilaterais nas áreas de defesa e segurança.

O que vem por aí

Como o estabelecimento do SPP é recente, ainda não há atividades previstas. A ideia é que, a partir de agora, ambas as partes identifiquem interesses mútuos de treinamento, o que dará impulso para o desenvolvimento gradual de atividades dentro da parceria. Estas devem ocorrer tanto dentro de organizações militares no Brasil quanto nos Estados Unidos, “buscando-se sempre maximizar a oportunidade de intercâmbio de experiências”, ressaltou o C Alte Silva Costa.

Inicialmente, pelo lado brasileiro, os contatos estão sendo conduzidos pela Subchefia de Assuntos Internacionais do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. Já do lado americano, o diálogo vem sendo intermediado pelo Escritório de Ligação da Embaixada dos EUA no Brasil. Conforme previsto no SPP, a coordenação das atividades do programa será de responsabilidade do SOUTHCOM.

O C Alte Silva Costa esclareceu também que o escopo da parceria firmada prevê intercâmbios entre integrantes da Guarda Nacional de Nova York e das Forças Armadas do Brasil. “Ambas as partes possuem grande experiência e renomada expertise, sendo esperado um profícuo intercâmbio de conhecimentos, profissional e operacional, nas mais diversas áreas comuns de atuação”, afirmou o oficial.

Histórico de parcerias

O SPP da Guarda Nacional dos Estados Unidos existe há 26 anos. O Brasil é o 83º país a assinar a parceria, que busca promover a cooperação mútua na área de segurança, por meio do estabelecimento de relações a longo prazo com as nações integrantes do programa.

Na América do Sul, as parcerias entre o Equador e a Guarda Nacional de Kentucky e entre o Peru e a Guarda Nacional da West Virginia são as mais antigas, pois datam de 1996. É duradoura também a relação da Bolívia com a Guarda Nacional do Mississipi, desde 1999, e do Uruguai com a Guarda Nacional de Connecticut, bem como de El Salvador com a Guarda Nacional de New Hampshire, desde 2000.

A Guarda Nacional de Nova York também mantém, desde 2003, relacionamento por meio do SPP com a Força Nacional de Defesa da África do Sul. As atividades mais recentes realizadas pelas duas instituições ocorreram em 2018, na África do Sul, quando 38 militares e duas aeronaves do componente aéreo da Guarda Nacional de Nova York fizeram parte do contingente norte-americano na exposição bienal Setor Aeroespacial e de Defesa da África, que inclui também shows aéreos. Eventos e intercâmbios como este também poderão fazer parte do elenco de atividades a serem desenvolvidas entre os Estados Unidos e o Brasil.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 10
Carregando conversa