Argentina envia primeira remessa de ajuda humanitária para Venezuela

A doação de alimentos poderá chegar à Venezuela no final de maio, se o regime de Nicolás Maduro o permitir.
Juan Delgado/Diálogo | 20 maio 2019

As pessoas fazem fila para receber contêineres para coletar água e tabletes para a purificação da água, em Caracas, Venezuela, em 16 de abril de 2019. (Foto: Matias Delacroix, AFP)

Frente à grave crise que a Venezuela vem atravessando, o governo da Argentina enviou a primeira remessa de ajuda humanitária ao país latino-americano. A doação foi feita através da Unidade de Gestão em Apoio à Reconstrução da Venezuela, organismo criado em fevereiro para colaborar com a ajuda humanitária e atender às necessidades do povo venezuelano.

No dia 16 de abril, um carregamento de 26 toneladas partiu por via marítima de Buenos Aires para o porto de Cartagena das Índias, na Colômbia, informou em um comunicado o Ministério de Relações Exteriores e Culto da Argentina (MREC), responsável pela Unidade de Gestão. Alimentos como óleo, produtos enlatados, arroz e lentilhas, entre outros víveres, fazem parte da doação. As autoridades argentinas estimam que a remessa chegue à Colômbia no dia 18 de maio para ser em seguida enviada à Venezuela, desde que o regime ilegítimo de Maduro não o roube ou não permita a sua entrada.

“Dessa maneira, a Argentina reafirma o seu compromisso de fazer frente à grave crise humanitária que o povo venezuelano vem enfrentando”, informou o MREC.

Outras 3 toneladas de ajuda humanitária serão enviadas em meados de maio de Buenos Aires para Cúcuta, cidade colombiana na fronteira com a Venezuela, disse à Diálogo Alejandro Daneri, presidente da Comissão de Capacetes Brancos, organização civil humanitária, órgão do MREC, que apoia a Unidade de Gestão.

Elisa Trotta Gamus, representante diplomática da Venezuela na Argentina, indicada pelo presidente interino Juan Guaidó, agradeceu o apoio argentino. “Continuamos trabalhando em conjunto pela Venezuela. A crise humanitária no nosso país é um fato e devemos continuar colaborando a partir dos nossos espaços”, disse Trotta.

Situação humanitária

“Ainda estamos preocupados com a situação humanitária na Venezuela, que é trágica. O povo venezuelano se encontra em um estado de calamidade”, disse Daneri. “Nós continuamos trabalhando na Argentina com as comunidades venezuelanas para classificar, armazenar e organizar os armazéns, com as mercadorias doadas que serão enviadas à Venezuela.”

A crise humanitária na Venezuela se agrava a cada dia. O sistema de saúde entrou em colapso e os venezuelanos sofrem com a extrema pobreza e a insegurança alimentar. A crise também provocou uma grande emigração, com a fuga de milhões de venezuelanos para os demais países da região. Segundo a Organização dos Estados Americanos, os refugiados da Venezuela na América Latina são mais de 3 milhões – sendo mais de 1 milhão na Colômbia – e esses números poderão ultrapassar 5 milhões até o final de 2019.

“Lutamos pela ajuda humanitária para atender à emergência ocasionada pelo usurpador, porque apostamos no bem-estar da nossa gente. Obrigada, Argentina! Nós, os venezuelanos, saberemos retribuir tanta solidariedade e tanto respaldo”, disse Guaidó no seu perfil oficial no Twitter.

Compartilhar:
Comente:
Gosta dessa história? Sim 220
Carregando conversa