Líderes do WHINSEC ajudam Paraguai com curso de treinamento médico

WHINSEC Leaders Help Paraguay with Medical Training Course

Por By U.S. Army Capt. Juan M. Almonte and Lee Rials, WHINSEC Public Affairs
outubro 15, 2018

O presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez emitiu uma ordem para criar um novo curso sobre Resposta a Emergências Médicas após o sucesso da apresentação do curso.

Três observadores/avaliadores do Instituto do Hemisfério Ocidental para a Cooperação em Segurança (WHINSEC) participaram junto com seis instrutores paraguaios, que ministraram o curso inicial para 68 médicos do Paraguai.

O Centro Conjunto de Operações de Paz (CECOPAZ-Paraguai) patrocinou o curso que apresentou os fundamentos do tratamento médico tático com ênfase no atendimento em situações de combate.

Um instrutor do WHINSEC esteve presente durante todo o treinamento; o primeiro foi o Capitão do Exército dos EUA David S. de la Fuente, depois foi o Subtenente do Exército da Colômbia Oscar A. Vera e por último o Capitão do Exército dos EUA Juan M. Almonte. A função do instrutor do instituto foi observar e dar a sua opinião e, caso fosse solicitado, fazer recomendações sobre a execução do curso.

Cada instrutor do WHINSEC permaneceu no Paraguai por aproximadamente 13 dias, mostrando diferentes abordagens em metodologia de ensino, técnicas de operação de equipamentos médicos e técnicas de atendimento de vítimas durante as operações de combate.

As observações dos instrutores do WHINSEC foram levadas ao diretor do curso e aos seus instrutores, para sugerir diferentes métodos sobre como implementar o curso no qual os instrutores tiveram a oportunidade de realizar modificações em suas matérias, de acordo com as informações a eles fornecidas pelos instrutores dos EUA.

O curso ofereceu treinamento tanto didático quanto prático, com foco em anatomia e fisiologia básicas, controle de hemorragias, tratamento de disfunções respiratórias, tratamento de lesões musculoesqueléticas, atendimento a vítimas com paradas cardíacas, tratamento de lesões na cabeça e no pescoço, técnicas de evacuação de vítimas e triagem de pacientes.

Essa foi a parte médica; os médicos também tiveram que aprender sobre movimentação tática básica em uma área possivelmente perigosa, identificando e respondendo às ameaças às equipes e às vítimas, e as reações ao contato com o inimigo.

Os alunos foram avaliados através de uma série de provas escritas e práticas que culminaram com um exame escrito e um exercício prático finais.

Entre os instrutores havia um cirurgião que forneceu planos de aulas e o material necessário para as partes didáticas e deu palestras sobre anatomia humana e as funções básicas do corpo humano quando exposto ao trauma.

Dois médicos especialistas com experiência em emergências médicas no norte do Paraguai, onde as equipes militares enfrentam conflitos, deram explicações sobre as lesões que comumente ocorrem naquela região.

Dois outros especialistas, um paramédico e um médico paraguaio de operações especiais, forneceram informações detalhadas sobre o tratamento de lesões ocorridas em situações de emergência, reação ao contato e movimento tático, com ênfase na autodefesa, na defesa da unidade e da vítima.
Share