EUA apresentam sanções contra suspeitos de tráfico de drogas

Por Dialogo
junho 04, 2013


Os Estados Unidos designaram para sanções seis indivíduos e grupos, incluindo um notório traficante de esteróides, no dia 31 de maio, congelando seus bens nos EUA e bloqueando o comércio com americanos.



Os Cavaleiros Templários, do México, Los Urabeños, da Colômbia, e Los Cachiros, de Honduras, foram indicados para sanções sob a Lei de Designação de Barões da Droga Estrangeiros, escreveu o presidente Barack Obama em uma carta aos legisladores.



Três indivíduos foram também listados: Luis Fernando Sanchez, o suposto líder do cartel de Tijuana do México, o traficante de esteróide Mihael Karner, da Eslovênia, e o afegão Haji Kotwal Noorzai, líder de uma rede de tráfico de drogas e dono de vários laboratórios de processamento de heroína.



A designação significa que quaisquer bens nos Estados Unidos serão congelados e quaisquer americanos ou empresas dos Estados Unidos que tentem negociar com esses indivíduos ou grupos serão sujeitos a sanções.



Kotwal, que tem ligações com o Talibã, está baseado no Paquistão e membros da sua rede lideram os negócios de narcóticos, segundo o Departamento de Tesouro dos EUA.



Nos últimos 10 anos, Karner vendeu esteróides anabolizantes no mundo todo e criou empresas fantasmas em paraísos fiscais, para esconder os milhões de dólares em lucros gerados pelas drogas.



Karner, sua esposa e seu irmão foram indiciados pela corte federal de Massachusetts em 2010, sob três acusações de conspiração de lavagem de dinheiro e pela distribuição e importação de esteróides.



Ele e sua mulher foram presos e detidos na Áustria, em dezembro de 2010, mas foram liberados sob fiança em abril de 2012, enquanto lutavam pela extradição, e depois fugiram para sua terra natal na Eslovênia, onde não há acordo de extradição com os EUA, segundo o Tesouro.



O cartel de Tijuana liderado por Sanchez entrega toneladas de cocaína e maconha da região norte do México para os Estados Unidos. A quadrilha mantém uma batalha contra o cartel de Sinaloa pelo controle do território.



Na costa do Pacífico mexicana, a quadrilha dos Cavaleiros Templários controla o tráfico de drogas e outras atividades criminosas tais como sequestro, extorsão e roubo.



Seus combatentes ofereceram baixar as armas em troca do cumprimento das promessas de campanha feitas pelo novo presidente Enrique Peña Nieto, sem indicarem quais delas seriam.



Enquanto isso, Los Cachiros controlam 90% das pistas clandestinas em Honduras, onde grande quantidade de drogas é transportada dos campos onde crescem na Colômbia para os cartéis mexicanos, segundo afirma o Tesouro dos EUA.



Los Urabeños são compostos principalmente por paramilitares e traficantes que também comercializam armas em até 24 das 32 províncias colombianas.



Eles estão aliados com as FARC, mas entraram em conflito com outras quadrilhas locais.






Share