Estados Unidos doarão radar a Honduras para o combate ao narcotráfico

United States to Donate Radar to Honduras for Fight against Drug Trafficking

Por Dialogo
maio 22, 2012


O subsecretário adjunto da Defesa para Assuntos do Hemisfério Ocidental dos Estados Unidos, Frank Mora, confirmou em Honduras que seu governo doará um radar especial para combater os voos ilegais do narcotráfico.

Este aparelho poderá monitorar voos irregulares, destacou. “Um radar é importante, mas às vezes podem ser feitas coisas que não requerem uma maior capacidade financeira, mas que requerem maiores níveis de sincronização”, acrescentou. Mora não se aprofundou em detalhes técnicos sobre o equipamento nem sobre o fabricante do mesmo, mas neste caso deve se tratar de um radar primário ou de longo alcance, que vigiará sobretudo o espaço aéreo sobre o Caribe hondurenho, região por onde passa a maior parte dos voos ilegais do sul do continente para o norte.

Frank Mora chegou a Honduras para reunir-se com o ministro da Segurança, Pompeyo Bonilla, e o da Defesa, Marlon Pascua, para explicar a nova estratégia de defesa que o presidente dos EUA, Barack Obama, apresentou em janeiro passado. Na série de visitas, o subsecretário também visitou a Guatemala e El Salvador.

Mora enfatizou às duas autoridades hondurenhas que seu país ofereceu importante ajuda aos países da América Central para colaborar mais na luta contra o narcotráfico. Os EUA têm previsão em seu orçamento, para o ano fiscal que se inicia em outubro próximo, de uma doação de US$ 130 milhões destinada aos países da região, para suas estratégias contra o narcotráfico. Esta assistência é parte da cooperação através da Iniciativa de Segurança Regional da América Central (CARSI), que enfatiza o apoio institucional aos operadores de justiça, desenvolvimento e prevenção, entre outros, explicou Mora.

O subsecretário reconheceu que os EUA devem trabalhar com mais força para reduzir o consumo de drogas, como foi solicitado pelo presidente Porfirio Lobo, e o norte-americano explicou que a aquisição de alucinógenos nos EUA caiu em 30 por cento.



Share