Estados Unidos afirmam que o combate ao consumo de drogas reduz a violência na América Latina

Por Dialogo
julho 29, 2009

México, 27 de julho (EFE).- O imperador anti-drogas americano, Gil Kerlikowske, garantiu hoje na capital mexicana que a prevenção e o tratamento do vício, particularmente do consumo de narcóticos, “é fundamental” para reduzir a violência causada pelo narcotráfico na América Latina. “Quando se dá maior ênfase à prevenção e ao tratamento, não apenas ajudamos nosso próprio país (Estados Unidos), como também colaboramos para a redução da violência” na região, disse o diretor para o controle de Drogas da Casa Branca, que realiza uma visita de quatro dias ao México. “Se cortarmos o uso das drogas, também poderemos cortar a violência e o crime no México e na América Latina”, disse Kerlikowske, durante uma visita a um centro de cuidados a menores viciados, aonde foi acompanhado da primeira dama do México, Margarita Zavala, e do secretário mexicano da Saúde, José Ángel Córdova. O funcionário afirmou que a política americana para o combate às drogas procura entender, apreciar e apoiar o trabalho feito em outros países. Ele comentou que em seu país 20 milhões de pessoas maiores de 12 anos consumiram drogas no mês passado, e cerca de 23 milhões de americanos necessitam de tratamento. “Apenas 10% dessas pessoas aceitam o tratamento, em parte porque o mesmo não está disponível, e porque imaginam que não precisam dele”, acrescentou. A primeira dama do México, Margarita Zavala, concordou com o fato de que o combate às drogas é fundamental porque “seu consumo gera violência, destrói famílias e a sociedade”. Na ocasião Iris Vianney Velázquez Martínez, uma joven paciente do Centro Nova Vida, confirmou que é viciada em álcool e que com o tratamento recebido aprendeu a tomar suas decisões e a não prejudicar as pessoas que ela mais ama. Existem no país 320 centros como o Nova Vida, que proporcionam ainda serviços ambulatoriais para a detenção prematura e atenção oportuna aos viciados.
Share