Especialistas dos EUA ajudam na investigação de incêndio em penitenciária de Honduras

Por Dialogo
fevereiro 21, 2012


Os Estados Unidos anunciaram, em 16 de fevereiro, que enviaram especialistas forenses para colaborar com as investigações do incêndio na penitenciária de Honduras que matou 355 presos, a pedido das autoridades desse país.

Os especialistas pertencem a uma equipe de resposta internacional da Agência norte-americana de controle de álcool, tabaco, armas e explosivos (ATF) que colabora para investigar grandes incêndios e explosões, segundo um comunicado.

“Uma equipe avançada da ATF chegará ainda hoje (16 de fevereiro) e começará a reconstruir o lugar da ocorrência para identificar a origem do fogo, realizará entrevistas e vasculhará os escombros para obter evidências”, informou a instituição.

O incêndio aconteceu entre a noite do dia 14 e a madrugada do dia 15 deste mês na penitenciária de Comayagua, no centro de Honduras, que abrigava mais de 850 detentos, o dobro de sua capacidade.

O governo de Porfirio Lobo solicitou a ajuda através do Departamento de Estado norte-americano. Outros especialistas internacionais já estão colaborando com as autoridades do país centro-americano.

A ATF informou que a equipe de resposta, que opera desde 1978, já trabalhou em outras ocasiões em países latino-americanos, como na Colômbia, depois de um atentado que matou 32 pessoas em uma casa noturna em Bogotá, e na República Dominicana, onde recuperou artefatos explosivos, em 2008.




Share