EUA doam helicópteros para ajudar a Guatemala a combater o narcotráfico

Por Dialogo
novembro 17, 2013



O contínuo trabalho das forças de segurança guatemaltecas de modernizar seus equipamentos recebeu recentemente um incremento, quando os Estados Unidos, parceiro escolhido desse país centro-americano na luta contra o crime organizado, doaram seis helicópteros.
Segundo analistas de segurança, os novos equipamentos ajudarão a Guatemala em sua batalha contra os traficantes internacionais de drogas.

Melhorando a capacidade operacional

Os helicópteros doados têm valor estimado de US$ 11 milhões (R$ 25,6 milhões). Eles não foram os únicos equipamentos doados pelos EUA à Guatemala para ajudá-la a combater os narcotraficantes.
Os EUA também forneceram dispositivos de visão noturna e outros equipamentos militares. Além dos equipamentos militares, os EUA deram à Guatemala guindastes, que serão utilizados para aprimorar a infraestrutura do país. O total dos equipamentos doados é avaliado em aproximadamente US$ 40 milhões (R$ 93 milhões), de acordo com uma nota à imprensa emitida pelo governo guatemalteco.
Os equipamentos devem ajudar as forças de segurança guatemaltecas a realizar operações contra os traficantes de drogas e outros grupos do crime organizado, disse Adolfo Alarcón, analista de segurança do instituto de pesquisas ASIES.
“Tudo que ajudar a fortalecer a capacidade operacional das forças de segurança da Guatemala é bem-vindo”, disse Alarcón. “Elas [as doações militares] podem ajudar se forem utilizadas dentro da estrutura de uma política e uma estratégia integral para combater esse problema para modernizar as forças de segurança, que não têm todos os recursos necessários para pôr um fim ao narcotráfico internacional.”

A família Lorenzana

Em janeiro de 2012, Otto Pérez Molina assumiu a presidência da Guatemala. Durante seu discurso de posse, Pérez Molina, que durante 30 anos serviu ao Exército da Guatemala, jurou que tomaria duras medidas contra o crime organizado e os narcotraficantes.
Desde então, as forças de segurança guatemaltecas capturaram vários importantes suspeitos de tráfico de drogas:
• Em setembro de 2013, agentes antidrogas do Ministério Público e investigadores da Polícia Nacional Civil (PNC) capturaram Waldemar Lorenzana Cordón, suspeito de pertencer ao alto escalão da organização de narcotráfico Lorenzana. Ele é filho de Waldemar Lorenzana Lima, o suposto líder da organização criminosa. Ele é conhecido como “O Patriarca”.
Nos últimos anos, a organização Lorenzana de narcotráfico colaborou com o Cartel de Sinaloa, liderado por Joaquín “El Chapo” Guzmán, para traficar milhares de toneladas de cocaína da Guatemala para o México, e de lá para os Estados Unidos.
• Em 2011, as forças de segurança guatemaltecas capturaram O Patriarca, a pedido das autoridades dos EUA, que suspeitavam que ele estivesse trabalhando para El Chapo. O Patriarca é procurado nos EUA por tráfico de drogas. Em julho de 2013, um tribunal de apelação guatemalteco negou as últimas ações legais de O Patriarca para evitar ser extraditado. Uma data de extradição ainda não foi estabelecida.
• Também em 2011, forças de segurança guatemaltecas capturaram outro filho de O Patriarca, Elio Elixander Lorenzana Cordón. Ele é procurado nos EUA por acusações federais de tráfico de drogas, conspiração e lavagem de dinheiro. Uma data de extradição para os EUA ainda não foi definida.

Novas alianças e conflitos

As forças de segurança guatemaltecas fizeram um bom progresso contra a organização Lorenzana de tráfico de drogas, mas elas devem permanecer vigilantes, disse Alarcón.
“Desde que Pérez Molina assumiu o poder, o governo realizou algumas capturas importantes”, disse o analista de segurança. “Entretanto, o problema persiste e o que ocorreu foi uma simples reforma geral dos acordos de forças entre os cartéis de drogas nacionais e internacionais; novas alianças e conflitos entre esses grupos aumentaram.”
A Guatemala é um importante ponto de transbordo de drogas para narcotraficantes internacionais. Cerca de 90% da cocaína que os traficantes contrabandeiam para a América do Norte passam pela América Central, de acordo com o Conselho Internacional de Controle de Narcóticos das Nações Unidas (INCB).

Um voto de confiança

As doações dos helicópteros e outros equipamentos foram “um voto de confiança dos Estados Unidos à Guatemala”, disse Pérez Molina.
Segundo autoridades, os helicópteros possuem assentos para 13 pessoas e têm 1.800 CV. Eles são do mesmo modelo utilizado pelos militares dos EUA na Guerra do Vietnã.
Os helicópteros permitirão às forças de segurança guatemaltecas uma maior mobilidade, disse o ministro do Interior, Mauricio López Bonilla.
“Estamos nos ajustando ao fato de que somos um país sério e responsável que tem a capacidade de desenvolver qualquer processo de cooperação nesses termos, para mobilizar e mantê-los dentro dos padrões que os EUA exigem”, disse López Bonilla. “Para nós, é um grande privilégio receber esses seis helicópteros e estar aptos a ter uma maior mobilidade.”
Essa doação de helicópteros e outros equipamentos não é a primeira vez que os EUA fornecem equipamento à Guatemala. Em abril de 2013, o governo dos Estados Unidos doaram 42 viaturas Jipes J8 para ajudar a Guatemala na luta que ambos os países enfrentam contra as organizações criminosas internacionais. As viaturas, com um valor estimado de US$ 5 milhões (R$ 11,6 milhões), foram doadas ao Ministério da Defesa durante uma visita do general de brigada Frederick S. Rudesheim, comandante-geral do Exército Sul dos EUA.

Treinamento e operações

Os helicópteros doados serão utilizados em treinamento e operações contra traficantes de drogas e outros grupos do crime organizado, explicou López Bonilla.
“Principalmente, existem duas coisas que para nós são realmente importantes”, disse López Bonilla. “Os helicópteros estão [disponíveis] para treinamento permanente. E eles nos darão uma capacidade operacional de 24 horas. As equipes estão prontas para usar os dispositivos de visão noturna e nós temos todas as ferramentas para voar durante a noite. Podemos estar em qualquer parte do país quando necessário e sem estar limitados por ser dia ou noite.”
Os guindastes doados serão utilizados para a construção de pistas de pouso para helicópteros e aviões, disse Pérez Molina. “Nós queremos ter um Estado forte que possui a estrutura para pôr um fim ao narcotráfico e ao crime organizado internacional”, disse o presidente.

Apreensões de drogas

Segundo autoridades, os helicópteros e os outros equipamentos doados devem ajudar as forças de segurança da Guatemala a apreender mais drogas.
Em 2009, as forças de segurança apreenderam 6.936 kg de cocaína, de acordo com o Ministério do Interior. As forças de segurança apreenderam menos da metade dessa quantidade – 3.292 kg – em 2012, segundo o Ministério do Interior.
Entre janeiro e outubro de 2013, as forças de segurança da Guatemala apreenderam 2.236 kg de cocaína, segundo autoridades.



Share