EUA doam equipamentos à agência antinarcóticos da República Dominicana

U.S. Donates Equipment to Dominican Republic Anti-Drug Trafficking Agency

Por Dialogo
junho 22, 2015




O governo dos Estados Unidos doou equipamentos de informática à Direção Nacional de Controle de Drogas da República Dominicana (DNCD) para ajudar na luta contra grupos do crime organizado transnacional que utilizam a ilha como ponto de transbordo para o narcotráfico.

“Devemos saudar qualquer iniciativa que ajude a tornar mais eficientes os esforços de combate ao narcotráfico, e a doação pode fortalecer essa eficiência”, diz Wilfredo Lozano, diretor do Centro de Pesquisa e Estudos Sociais da Universidade Ibero-Americana, da República Domincana.

A doação foi realizada por meio da Embaixada dos EUA na República Dominicana e do Escritório de Assuntos Internacionais de Narcóticos e Aplicação da Lei (INL), no âmbito dos acordos de cooperação entre os dois países. As autoridades americanas entregaram os equipamentos ao presidente da DNCD, General de Brigada Julio Cesar Souffront Velázquez, em cerimônia na sede da Direção, em 28 de maio.

“Esse novo passo permitirá a interligação de todos os escritórios no país”, disse o Gen. Brig. Velázquez.

A doação faz parte de um pacote de ajuda de cerca de US$ 1,5 milhão; autoridades de segurança já registraram os equipamentos doados no Sistema de Bens da DNCD e os distribuirão a diversos departamentos.

DNCD coopera com os EUA na apreensão de drogas


A DNCD usará os equipamentos para combater grupos do crime organizado e apreender drogas ilegais.

Autoridades de segurança da República Dominicana apreenderam 7.000 quilos de cocaína desde 1º de janeiro deste ano, quase sempre em cooperação com os EUA e outros países parceiros. No início de junho, por exemplo, a DNCD prendeu sete pessoas suspeitas de integrar uma organização internacional de tráfico de drogas. As autoridades rastrearam as cargas da rede durante semanas e detiveram os suspeitos enquanto eles transportavam pequenas quantidades de cocaína no estacionamento de um restaurante de Santo Domingo. O suposto grupo de traficantes, que incluía dominicanos, belgas, colombianos e sérvios, usava a República Dominicana para enviar grandes volumes de droga da América do Sul para os EUA e o Canadá.

“As interdições são resultado da maior eficiência. As forças de segurança dos dois países estão lutando contra o aumento do narcotráfico na região”, diz Wilfredo Lozano, diretor do Centro de Pesquisa e Estudos Sociais da Universidade Ibero-Americana, da República Dominicana.

Outras doações dos EUA ajudarão a combater o narcotráfico


Não é a primeira vez que o governo dos EUA doa equipamentos à República Dominicana para a luta contra as organizações criminosas transnacionais e o tráfico de drogas.

Em setembro de 2014, por exemplo, os EUA doaram ao país um navio de patrulhamento Boston Whaler Interceptor de 37 pés durante, cerimônia realizada na base 27 de Febrero da Marinha Dominicana. O barco é o décimo dos 12 que serão entregues pelos EUA e será usado pela Marinha Dominicana para apoiar esforços conjuntos interagências de combate ao narcotráfico. Os outro nove barcos estão posicionados em diversos pontos do país, incluindo Cabo Rojo, Barahona, Las Calderas e Punta Cana.

O evento contou com a presença do Chefe da Marinha, Edmundo Félix Pimentel, que agradeceu aos EUA pela doação.

“O treinamento do pessoal de segurança e a doação dos equipamentos fazem parte da cooperação entre os dois países”, diz Lozano. “[Além de combater o narcotráfico], no momento é importante que a República Dominicana monitore as faixas de fronteira terrestre e marítima entre o país e o Haiti que também são usadas por grupos criminosos para tráfico de pessoas.”
Share