Trabalhando com parceiros internacionais, a Guarda Costeira dos EUA descarrega drogas avaliadas em mais de US$ 411 milhões

Trabalhando com parceiros internacionais, a Guarda Costeira dos EUA descarrega drogas avaliadas em mais de US$ 411 milhões

Por Marcos Ommati/Diálogo
dezembro 17, 2020

Select Language

Não importa quantas vezes nos deparamos com isso. É sempre impressionante ver mais de 10.400 quilos de cocaína e quase 4.000 kg de maconha. Esse foi o volume de drogas – avaliadas no mercado em mais de US$ 411 milhões, de acordo com as autoridades – que a tripulação do navio USCGC James, da Guarda Costeira dos EUA, descarregou em 16 de dezembro de 2020, no Porto de Everglades, em Fort Lauderdale, Flórida.

“Essa patrulha enfatiza o compromisso contínuo de nossa tripulação de proteger o povo norte-americano dos nossos adversários”, disse o Capitão de Mar e Guerra da Guarda Costeira dos EUA Todd Vance, oficial comandante do USCGC James, em uma entrevista coletiva no cais do Porto de Everglades. “Apesar da COVID-19, a tripulação do James demonstrou uma resiliência extrema, e os resultados desse desempenho excepcional são expostos hoje.”

Membros da tripulação do navio USCGC James, da Guarda Costeira dos EUA, descarregaram drogas avaliadas em aproximadamente US$ 411 milhões, no Porto de Everglades, em Fort Lauderdale, Flórida, no dia 16 de dezembro de 2020. (Foto: Steven McLoud/Diálogo)

A apreensão da droga contou com a ajuda das Guardas Costeiras das nações parceiras, incluindo tripulações internacionais da França, Países Baixos e Reino Unido. As drogas foram interditadas em águas internacionais no leste do Oceano Pacífico, nas costas do México, das Américas Central e do Sul, incluindo o contrabando confiscado e recuperado em 20 interdições de embarcações suspeitas de narcotráfico.

“As fortes relações internacionais da Guarda Costeira com parceiros essenciais como o Reino Unido, a França e os Países Baixos, que se somam às nossas capacidades especializadas e inigualáveis autoridades, possibilitam uma unidade de esforços para derrotar as organizações criminosas transnacionais que ameaçam os EUA e nossas nações parceiras”, garantiu o Almirante de Esquadra Karl Schultz, comandante da Guarda Costeira dos EUA.

De acordo com o Escritório de Relações Públicas da Guarda Costeira dos EUA, durante interdições marítimas, uma embarcação suspeita é inicialmente detectada e monitorada pelas equipes aliadas, militares ou de imposição da lei, coordenadas pela Força-Tarefa Conjunta Interagencial Sul, com base em Key West, Flórida. A fase de manutenção da ordem pública das operações antinarcóticos no leste do Pacífico é realizada sob a autoridade do 11º Distrito da Guarda Costeira, com sede em Alameda, Califórnia. As interdições, incluindo as abordagens reais, são comandadas e realizadas por membros da Guarda Costeira dos EUA.

“Tenho a honra de homenagear as conquistas da equipe aqui e agora e reconhecer o papel que a Marinha Real e a Agência Nacional contra o Crime, do Reino Unido, desempenharam nessa operação conjunta”, disse o Comodoro Phil Nash, adido real da Embaixada do Reino Unido. “Trabalhando incansavelmente com os colegas dos EUA e internacionais, a presença da RFA [Auxiliar da Frota Real] Argus evitou que as drogas descarregadas aqui, avaliadas em US$ 54 milhões, chegassem às ruas nos últimos meses; considerando um esforço mais amplo empreendido este ano pelos navios do Reino Unido HMS Medway e RFA Mounts Bay, drogas no valor de cerca de US$ 650 milhões foram detidas. Esse foi um genuíno esforço de equipe – a chave do sucesso continua a ser a estreita relação de trabalho e a colaboração entre nossas nações.”

Estiveram também presentes ao evento o Capitão de Mar e Guerra Jarst de Jong e o Capitão de Mar e Guerra Cédric Chetaille, adidos navais dos Países Baixos e da França, respectivamente; Jean-Sébastien Conty, assessor político para Questões da África e do Hemisfério Ocidental da Embaixada da França; e Paul Jenkins, diretor regional para a América do Norte e o Caribe, da Agência Nacional contra o Crime.

Share