Exército e Polícia Nacional de El Salvador agem rapidamente após erupção do vulcão Chaparrastique

Por Dialogo
janeiro 19, 2014



O Exército de El Salvador e a Polícia Nacional reagiram rapidamente para ajudar a tranquilizar centenas de pessoas em situação de perigo potencial devido à erupção do vulcão Chaparrastique, que lançou grandes volumes de gás e cinzas, provocando temor entre a população civil.
Um contingente de cerca de 1.500 soldados do Exército e da Polícia Nacional Civil (PNC) e agentes da Proteção Civil coordenou ações e deu início a medidas de segurança quando o vulcão entrou em erupção em 29 de dezembro de 2013, no departamento de San Miguel. As forças de segurança agiram para ajudar os civis após a “explosiva erupção” do vulcão, disse Armando Vividor, chefe de Operações da Diretoria Nacional de Proteção Civil.
O vulcão é conhecido como “El Chaparrastique”, ou vulcão de San Miguel. Tem 2.129 metros de altura e está localizado 130 km a leste de San Salvador. É um dos sete vulcões ativos de El Salvador.

Elogio às forças de segurança

Segundo José Wilfredo Salgado García, prefeito de San Miguel, as forças de segurança responderam de forma imediata e profissional, garantindo a segurança dos moradores.
“A resposta da polícia e dos soldados do Exército foi eficiente e exemplar. As pessoas estão gratas a eles por sua rapidez e por terem ajudado a manter a calma e a ordem”, disse o prefeito em entrevista. A última erupção do vulcão havia sido em 1976.

Grande explosão e resposta imediata

O vulcão entrou em erupção em torno das 10h de domingo. Uma espessa coluna de fumaça elevou-se acima do vulcão, lançando na atmosfera gases como dióxido de carbono e enxofre, que podem ser fatais em concentrações muitos altas.
Imediatamente após a erupção, as autoridades evacuaram 2.300 moradores das 300 comunidades localizadas em um raio de até 3 km do vulcão, de acordo com relatórios publicados. Entre essas comunidades, estão Chinameca, Jucuapa, Batres, Santa María, San Jorge, El Tránsito, Las Placitas, Usulután, Santa Elena e San Rafael.
A população evacuada foi encaminhada a 16 abrigos de emergência nos departamentos de San Miguel e Usulután. Ao mesmo tempo, o Ministério da Saúde rapidamente levou equipamentos de purificação de água, para assegurar que essas pessoas tivessem água potável suficiente.
Como medida preventiva, as autoridades cancelaram pelo menos 22 voos que chegariam naquela noite ao Aeroporto Internacional de Comalapa, de acordo com o jornal Notimex. O governo temia que o volume de cinzas emitidas pelo vulcão pudesse reduzir a visibilidade dos pilotos.

‘Considerável ansiedade’

A barulhenta erupção interrompeu o que começou como uma calma manhã de domingo e criou grande confusão e medo.
“Aparentemente, a explosão do terceiro mais alto vulcão de El Salvador causou uma considerável ansiedade na população”, disse Salgado García. “No início, as pessoas não entenderam o que estava acontecendo. Não houve vítimas ou danos sérios.”
Segundo o Ministério do Meio Ambiente e Recursos Naturais (MARN), os sismógrafos instalados dentro do vulcão começaram a registrar uma aumento da atividade cerca de 6h da manhã, quase quatro horas antes da erupção. A explosão mais forte terminou por volta de 13h.

Vulcão pode entrar em erupção novamente

A Comissão Técnica e Científica do Sistema Nacional de Proteção Civil informou que um campo magnético atuou na erupção. A comissão foi criada para avaliar e analisar as causas do fenômeno, disse o ministro do Meio Ambiente, Herman Rosa Chávez.
“Isso significa que, se houver mais atividade no vulcão em um futuro próximo, o cenário mais provável é uma erupção com o lançamento de pedras incandescentes perto da cratera”, alertou o ministro.

Forças de segurança respondem a desastres naturais

As forças de segurança salvadorenhas estão lutando contra as gangues de rua, como a Mara Salvatrucha, conhecida como MS-13, e a Barrio 18, além das organizações criminosas transnacionais que operam em El Salvador. Esses grupos do crime organizado incluem o Cartel de Sinaloa, liderado pelo chefão das drogas foragido Joaquín “El Chapo” Guzmán, e o Los Zetas.
Além de combater os grupos criminosos, a Polícia Nacional e os serviços de Proteção Civil nos últimos anos ajudaram várias regiões que foram atingidas por desastres naturais:
• Em outubro de 2011, agentes da Polícia Nacional e soldados do Exército ajudaram a população civil após o ciclone tropical “12E” ter causado um recorde de chuvas no país. O ciclone tropical matou 194 pessoas, deixou 81 desaparecidos e causou mais de US$ 2 bilhões em prejuízos.
• Em maio de 2010, agentes da Polícia Nacional, soldados do Exército e unidades da Proteção Civil trabalharam em parceria para proteger os moradores de diversas regiões afetadas pela tempestade “Agatha”. A tempestade matou 12 pessoas, deixou 12 desaparecidos e provocou danos estimados em US$ 115 milhões.
• Em novembro de 2009, as forças de segurança de 14 departamentos do país ajudaram a evacuar e abrigar dezenas de milhares de pessoas atingidas pela tempestade tropical “Ida”. A tempestade matou 198 pessoas, danificou ou destruiu 3.400 casas e deixou 14.000 desabrigados.

Perda de vidas e prejuízos econômicos

O país registrou 123 grandes desastres naturais de 1989 a 2009, eventos que mataram 4.332 pessoas, feriram mais de 2,7 milhões e causaram um prejuízo econômico de aproximadamente US$ 4 bilhões, de acordo com o Comitê Permanente de Gestão de Riscos, uma organização da sociedade civil em El Salvador.

A bravura de policiais e soldados

Muitos policiais e soldados do Exército atuaram na erupção vulcânica sem usar máscaras de proteção, colocando suas próprias vidas em risco pela inalação de substâncias tóxicas.
“Todos nós nos preocupamos em evacuar e ajudar as pessoas e nos esquecemos de nossos policiais e soldados, muitos dos quais se aproximaram do vulcão sem utilizar máscaras. Eles merecem reconhecimento”, disse Salgado García.

Área normalizada

Em 72 horas, a maior parte da população evacuada retornou em segurança a seus lares. “Todo mundo já voltou para casa. As atividades em San Miguel estão transcorrendo como se nada tivesse acontecido. Uma erupção não deixa de ser uma possibilidade, por isso permanecemos em alerta. Estamos preparando um helicóptero com sirenes para avisar as pessoas caso precisem ser evacuadas imediatamente”, disse Salgado García.

Estudando a erupção

Segundo as autoridades, cientistas da Universidade de El Salvador estão estudando a erupção e trocando informações com pesquisadores de vulcões da Universidade de Michigan. Um grupo de vulcanólogos da Itália irá a El Salvador nos próximos meses para compartilhar conhecimento e experiência com autoridades governamentais.
Tem lógica.
Share