Suriname intensifica cooperação militar e de segurança com o Brasil

Suriname Intensifies Military, Security Cooperation With Neighboring Brazil

Por Dialogo
agosto 13, 2013



PARAMARIBO — O Suriname recebeu dois veículos blindados que haviam sido enviados ao Brasil para reparos, como parte de um acordo bilateral de defesa que entrou em vigor em 2012.
“Eles estão praticamente novos”, disse o ministro da Defesa do Suriname, Lamure Latour. Os veículos de fabricação brasileira passaram por uma revitalização total sob a supervisão do Exército Brasileiro. Mais dois tanques, conhecidos como Cascavel, ainda estão no Brasil e serão devolvidos ao Suriname em novembro.
“Este foi o primeiro projeto sob o novo acordo”, disse o tenente-coronel Angelo Brait Júnior, adido militar do Brasil em Paramaribo, capital do Suriname. “Os Urutus e Cascavéis estavam em mau estado por falta de reparos e precisavam de cuidados imediatos.”
Os quatro tanques fazem parte de um vasto arsenal de material bélico do Suriname, comprado do Brasil nos anos 80. Orgulho do Exército, esses veículos táticos militares desempenharam um papel estratégico na guerra de 1980, que assolou interior do país, mas estavam deteriorados e ociosos dentro dos quartéis.
No Brasil, esses veículos foram revitalizados. Os reparos foram realizados principalmente em seu interior, motores e armamentos.

“Esse tipo de carro de combate foi fabricado no Brasil e nós somos os mais qualificados para realizar sua manutenção. Esse conhecimento não pode ser encontrado em nenhum outro lugar. Nossos mecânicos entenderam imediatamente quais eram os problemas”, disse Brait.
“O Exército do Suriname tem vários veículos de fabricação brasileira, como jipes, caminhões e ônibus para transporte de pessoal e operações civis”, informou Brait, acrescentando que, embora tenha sido fácil realizar os reparos nos veículos, o transporte foi um desafio.
“A única maneira de trazê-los ao Brasil e levá-los de volta ao Suriname foi no mesmo navio utilizado para dar apoio logístico às nossas tropas que participaram da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH).”

Parceria se estende à segurança de fronteira

Os Urutus foram entregues em uma cerimônia realizada em 10 de junho, no quartel-general Memre Buku do Exército em Paramaribo. Durante o evento, Baumbach destacou as perspectivas futuras da cooperação bilateral militar.
“A parceria entre nossos países baseia-se em nossa proximidade geográfica, mas também porque nossas organizações de defesa devem estar aptas a cooperar no enfrentamento de problemas atuais como o tráfico de pessoas”, disse o embaixador.
Segundo Brait, além das questões de segurança, dois consultores agora estão vinculados ao Ministério da Defesa do Suriname.
“Estamos auxiliando o Suriname em seu primeiro Curso de Oficiais de Estado-Maior para Capitães”, disse. “Os resultados foram muito bons. Sou adido aqui há dois anos e testemunhei um grande avanço [nas relações bilaterais].”
O Brasil e o Suriname também são parceiros em questões de segurança de fronteira. O Suriname recentemente enviou soldados para sua fronteira sul, para complementar as ações das autoridades brasileiras no fortalecimento da segurança na região. Em julho, o ministro da Defesa do Brasil enviou 25.000 soldados para patrulharem as fronteiras do país em uma operação militar sem precedentes.

A Operação Ágata 7, como a missão é conhecida, é focada em crimes transfronteiriços como tráfico de drogas e armas, contrabando, imigração ilegal, mineração ilegal e tráfico de pessoas.
Segundo o oficial de Segurança Nacional Gerold Dompig, as autoridades surinamesas também têm vigiado de perto a fronteira.
“Enviamos homens à fronteira porque criminosos podem decidir atravessar [a divisa] vindo do Brasil, ao verem que o Exército Brasileiro está tornando as coisas difíceis para eles”, disse.

Esforço é parte de revisão militar geral

O diretor de Segurança Nacional, Melvin Linscheer, disse que o Suriname está melhorando seu Sistema de Monitoramento de Fronteira, um projeto de US$ 2,5 milhões que entrou em vigor no ano passado para registrar, identificar e rastrear viajantes que chegam e partem do país.
Brait disse que outros avanços serão discutidos no final de agosto, quando o Suriname sediará o primeiro encontro bilateral entre os ministros da Defesa dos dois países.
A revitalização dos carros de combate ocorre em um momento em que o Suriname fortalece suas Forças Armadas em geral. O governo recentemente anunciou que investirá US$ 2,4 milhões em veículos blindados para o Exército, a polícia, a alfândega e o serviço de Inteligência do país.
Em julho, o Suriname recebeu três lanchas para uma unidade de sua Guarda Costeira criada para combater crimes marítimos. Soldados foram transferidos da Marinha para compor o grupo inicial da Guarda Costeira, enquanto uma tripulação permanente está em fase de treinamento.
po por q vcs nao compram veiculos novos
Share