América do Sul dobrou seus gastos militares em cinco anos

South America Doubled Military Spending in Five Years

Por Dialogo
maio 15, 2012


Os gastos militares em toda a América do Sul dobraram nos últimos cinco anos, embora não haja uma evidente corrida armamentista, segundo um relatório publicado por um grupo regional no dia 11 de maio.



Entre 2006 e 2010, os gastos anuais passaram de US$ 17,6 bilhões para US$ 33,2 bilhões entre os 12 membros da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), segundo o relatório do grupo.



O total de gastos chegou a US$ 126 bilhões nestes cinco anos, mas como percentual do Produto Interno Bruto (PIB), permaneceram “estáveis no período de cinco anos, com média de 0,91 por cento”, informou o documento.



“Nesta questão, a América do Sul está abaixo das demais regiões do mundo”.



Esses números significam que “não podemos dizer que haja uma corrida armamentista ou uma militarização da região.



A UNASUL tem como membros Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.



O Brasil foi o país que mais investiu em defesa, cerca de 47 por cento do total, seguido pela Colômbia com 17 por cento, Venezuela (10,7 por cento), Chile (nove por cento), Argentina (8,3 por cento), Equador (4,5 por cento) e Peru (quatro por cento).



No entanto, os gastos militares no Equador representam a maior fatia de PIB na região, com 2,74 por cento, e a Colômbia com 1,89 por cento. O Brasil, a maior economia da região, gasta menos de um por cento de seu PIB com investimentos militares, como ocorre com a Argentina e a Venezuela.










Share