• Home »
  • Uncategory »
  • Sophisticated flight simulator helps Costa Rican SVA pilots fight organized crime

Simulador de voo sofisticado ajuda pilotos da Costa Rica no combate ao crime organizado

Sophisticated flight simulator helps Costa Rican SVA pilots fight organized crime

Por Dialogo
novembro 14, 2014




A Direção do Serviço de Vigilância Aérea (SVA) da Costa Rica conta com uma nova e importante ferramenta em sua luta contra o narcotráfico e outras atividades criminosas: um simulador de voo Piper Seneca III, que será usado para o treinamento de pilotos.

O Comando Sul dos Estados Unidos (USSOUTHCOM) entregou o simulador de voo doado, avaliado em cerca de US$ 305.000, à sede da SVA, informou o Ministério de Segurança Pública em 15 de outubro.

“Quero agradecer aos nossos amigos do governo dos EUA por serem nossos aliados nessa iniciativa”, disse o ministro de Segurança Pública da Costa Rica, Celso Gamboa Sánchez. “Esse é o melhor simulador de voo atualmente em uso na Costa Rica e faz do Ministério de Segurança Pública um líder em tecnologia.”

Simulador de voo é importante ferramenta de capacitação


Pilotos da SVA realizam voos de vigilância para monitorar grupos de crime organizado e bandidos comuns, além de participar de missões humanitárias para ajudar a população civil durante desastres naturais.

O Piper Seneca III permitirá que 30 pilotos da SVA mantenham e aprimorem diariamente suas habilidades. Primeiro simulador para pilotos policiais da SVA, o aparelho reproduz a cabine de uma aeronave. Sua tecnologia sofisticada replica cenários reais. O simulador permitirá que os pilotos aumentem suas capacidades profissionais sem precisar se arriscar em voos reais, gastar combustível nem poluir o ambiente.

O aparelho ajudará os pilotos a efetuar manobras difíceis, como o pouso em zonas rurais remotas onde não há aeroporto ou pistas de aterrissagem. E as horas voadas no simulador serão reconhecidas para as certificações de pilotagem.

“Esse simulador era uma necessidade real”, diz Paul Chávez, analista de segurança da Universidade Latina da Costa Rica.

Cooperação inclui treinamento


Além de doar o equipamento, o USSOUTHCOM capacitou a equipe técnica da SVA sobre sua manutenção.

A tarefa ficará a cargo do departamento de manutenção da SVA, formado por 11 técnicos mecânicos responsáveis por certificar a segurança das aeronaves da SVA, incluindo algumas apreendidas de narcotraficantes.

O simulador está instalado na seção aérea do Departamento de Segurança Pública do Aeroporto Internacional Juan Santamaría (AIJS), em Alajuela.

SVA desempenha papel crucial para garantir a segurança da Costa Rica


Como a Costa Rica não possui uma força militar, a SVA tem um papel fundamental em garantir a segurança pública do país. O organismo serve como um braço aéreo da força policial do país, sendo responsável por garantir a ordem pública, a segurança e a integridade do espaço aéreo costa-riquenho, além de realizar vigilância e transporte de funcionários públicos no país e ao exterior, responder a desastres naturais e outras emergências públicas.

A frota da SVA é formada por 17 aeronaces, incluindo 14 de asa fixa e três helicópteros. A frota foi inteiramente doada por outros países ou confiscada de narcotraficantes. Cada avião apreendido vale entre US$ 15 milhões e US$ 30 milhões.

O simulador de voo junta-se ao leque de tecnologias sofisticadas, como os sistemas de radar que a SVA utiliza para realizar patrulhas marítimas, quase sempre em cooperação com forças de segurança dos EUA.

Os EUA e a Costa Rica cooperam na luta contra o crime transnacional, principalmente por meio de troca de informações e recursos.

Por exemplo, a Costa Rica atualmente recebe ajuda do governo americano através de vários programas. Entre 2009 e 11 de setembro, a Costa Rica recebeu mais de US$ 25 milhões em assistência para apoiar a segurança de fronteira, processos judiciais e comunidade seguras.



A Direção do Serviço de Vigilância Aérea (SVA) da Costa Rica conta com uma nova e importante ferramenta em sua luta contra o narcotráfico e outras atividades criminosas: um simulador de voo Piper Seneca III, que será usado para o treinamento de pilotos.

O Comando Sul dos Estados Unidos (USSOUTHCOM) entregou o simulador de voo doado, avaliado em cerca de US$ 305.000, à sede da SVA, informou o Ministério de Segurança Pública em 15 de outubro.

“Quero agradecer aos nossos amigos do governo dos EUA por serem nossos aliados nessa iniciativa”, disse o ministro de Segurança Pública da Costa Rica, Celso Gamboa Sánchez. “Esse é o melhor simulador de voo atualmente em uso na Costa Rica e faz do Ministério de Segurança Pública um líder em tecnologia.”

Simulador de voo é importante ferramenta de capacitação


Pilotos da SVA realizam voos de vigilância para monitorar grupos de crime organizado e bandidos comuns, além de participar de missões humanitárias para ajudar a população civil durante desastres naturais.

O Piper Seneca III permitirá que 30 pilotos da SVA mantenham e aprimorem diariamente suas habilidades. Primeiro simulador para pilotos policiais da SVA, o aparelho reproduz a cabine de uma aeronave. Sua tecnologia sofisticada replica cenários reais. O simulador permitirá que os pilotos aumentem suas capacidades profissionais sem precisar se arriscar em voos reais, gastar combustível nem poluir o ambiente.

O aparelho ajudará os pilotos a efetuar manobras difíceis, como o pouso em zonas rurais remotas onde não há aeroporto ou pistas de aterrissagem. E as horas voadas no simulador serão reconhecidas para as certificações de pilotagem.

“Esse simulador era uma necessidade real”, diz Paul Chávez, analista de segurança da Universidade Latina da Costa Rica.

Cooperação inclui treinamento


Além de doar o equipamento, o USSOUTHCOM capacitou a equipe técnica da SVA sobre sua manutenção.

A tarefa ficará a cargo do departamento de manutenção da SVA, formado por 11 técnicos mecânicos responsáveis por certificar a segurança das aeronaves da SVA, incluindo algumas apreendidas de narcotraficantes.

O simulador está instalado na seção aérea do Departamento de Segurança Pública do Aeroporto Internacional Juan Santamaría (AIJS), em Alajuela.

SVA desempenha papel crucial para garantir a segurança da Costa Rica


Como a Costa Rica não possui uma força militar, a SVA tem um papel fundamental em garantir a segurança pública do país. O organismo serve como um braço aéreo da força policial do país, sendo responsável por garantir a ordem pública, a segurança e a integridade do espaço aéreo costa-riquenho, além de realizar vigilância e transporte de funcionários públicos no país e ao exterior, responder a desastres naturais e outras emergências públicas.

A frota da SVA é formada por 17 aeronaces, incluindo 14 de asa fixa e três helicópteros. A frota foi inteiramente doada por outros países ou confiscada de narcotraficantes. Cada avião apreendido vale entre US$ 15 milhões e US$ 30 milhões.

O simulador de voo junta-se ao leque de tecnologias sofisticadas, como os sistemas de radar que a SVA utiliza para realizar patrulhas marítimas, quase sempre em cooperação com forças de segurança dos EUA.

Os EUA e a Costa Rica cooperam na luta contra o crime transnacional, principalmente por meio de troca de informações e recursos.

Por exemplo, a Costa Rica atualmente recebe ajuda do governo americano através de vários programas. Entre 2009 e 11 de setembro, a Costa Rica recebeu mais de US$ 25 milhões em assistência para apoiar a segurança de fronteira, processos judiciais e comunidade seguras.
Share