Venda de produtos falsificados pode financiar o terrorismo

Por Dialogo
setembro 13, 2012

O dinheiro proveniente da venda de produtos falsificados, um negócio que movimenta milhões de dólares anualmente, pode financiar o terrorismo e outras formas de crime organizado, além de pôr em risco a saúde das pessoas, disseram em 11 de setembro, no Panamá, fontes da Interpol.

“Não se pode descartar o fato de que algumas delas (atividades relacionadas à falsificação e pirataria de produtos) e seu dinheiro possam passar para os grupos terroristas”, disse Khoo Boon Hui, presidente da Interpol.

Khoo Boon Hui deu essas declarações no Panamá, onde teve início uma conferência internacional sobre os crimes contra a propriedade intelectual e a falsificação de produtos. Comparecem ao evento 500 representantes da Interpol de 50 países.

“A pirataria e a falsificação são apenas dois dos componentes de uma atividade muito maior, transnacional e criminosa”, acrescentou Khoo Boon Hui durante o discurso inaugural dessa reunião que termina em 13 de setembro.

Nos últimos tempos, intensificou-se a falsificação de remédios ou pílulas como o Viagra, o que preocupa as autoridades pelos perigos que isto significa para a saúde.

Segundo os especialistas, enquanto antigamente a maioria das falsificações provinha da Ásia, atualmente houve um aumento das produções locais, porque há fábricas nos próprios países com capacidade para realizar a falsificação total dos produtos.



Share