Polícia do Rio ocupa com sucesso a Rocinha, a maior favela do Brasil

Por Dialogo
novembro 15, 2011


A Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro conseguiu, no dia 13 de novembro, o controle total da favela da Rocinha, a maior do Brasil e que estava nas mãos do narcotráfico há 30 anos, após uma operação que começou durante a madrugada com o apoio de blindados e sem disparar um só tiro.

Depois da operação, cerca de 1.000 moradores acompanharam uma cerimônia improvisada para hastear a bandeira do Brasil em um ponto central da gigantesca favela para simbolizar a recuperação do território do domínio do crime.

Com uma haste improvisada, cercada por um emaranhado de cabos elétricos, os oficiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) hastearam, em meio a aplausos, o pavilhão nacional e a bandeira do estado do Rio de Janeiro.

“Rocinha, Rocinha, Rocinha”, repetiam os moradores emocionados.

Assistiram à cerimônia representantes das outras forças de ordem que participaram da ocupação policial desta populosa favela de 120 mil habitantes, localizada no coração de bairros classe alta da cidade.

Na operação, que começou por volta das 4h locais e contou com o apoio de blindados da Marinha, também foram ocupadas as favelas do Vidigal e a Chácara do Céu.

“Não houve qualquer incidente nem foi disparado um só tiro”, comemorou Alberto Pinheiro Neto, chefe do Estado-Maior da PM, ao anunciar o sucesso da missão.

O governador do estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, parabenizou os corpos de segurança e declarou ter informado à presidente Dilma Rousseff sobre o sucesso da operação.

“Estamos resgatando [o território] para esta população que precisa de paz para criar seus filhos com tranquilidade, pessoas que querem viver dignamente, e qualquer acesso à vida digna passa pela paz”, disse a autoridade.

A Polícia apreendeu 13 fuzis, 10 morteiros, uma granada, munições, miras telescópicas e motos, além de 150 quilos de maconha. Uma pessoa foi presa, embora por enquanto não tenha relação com os 200 narcotraficantes que as autoridades estimam que permanecem na favela e ainda não foram presos.

“A vitória que o cidadão carioca teve hoje (13 de novembro) foi a libertação dessas pessoas do jugo do fuzil. Armas, drogas, munições, pessoas (procuradas) são importantes, mas devolver o território a quem não o possuía há 30 anos não é pouco”, concluiu o secretário de Segurança do estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame.

Contudo, o chefe do tráfico Antônio Francisco Bonfim Lopes, vulgo “Nem”, foi preso esta semana quando tentava fugir escondido no porta-malas de um automóvel, além de dois outros importantes narcotraficantes.



Comemoro que tenham realizado uma operação dessa magnitude com um bom resultado, limpo e sem vidas a lamentar. O Brasil é uma país que avança a passo de vencedor. Deus continue os abençoando Charlie, agora sei o que acontece na Rocinha mas queria lhe apresentar esse site. É um bom lugar para ver rapidamente os destaques sobre assuntos importantes na América Latina e é grátis. Boa Noite. Senhor James de Belize que charada é essa de que não foi disparado um único tiro???? se no primeiro dia de invasão houve mais de 21 mortos???? é uma estupidez pensar que um monte de narcotraficantes e delinquentes perigosos iam se deixar pegar facilmente. De qualquer forma, esses delinquentes o mereciam por todo o sofrimento causado a toda essa pobre gente inocente, que só trata de viver em sua pobreza, entre tiroteios noturnos e extorsões dos narcotraficantes. Vocês publicam informação falsa e incompleta, não sei com que objetivo têm a intenção de maquiar a realidade .
Share