Porto Alegre é novo alvo do tráfico internacional

Porto Alegre a target for international drug trade

Por Dialogo
março 21, 2012




PORTO ALEGRE, Brasil – A Superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul já acumula vitórias para impedir que Porto Alegre se torne uma nova rota do tráfico internacional.
A tentativa de embarcar drogas na capital do Rio Grande do Sul se intensificou em junho de 2011, quando a cidade passou a ter ligação com Lisboa, capital de Portugal, por um voo direto da TAP.
Desde então, foram presos três estrangeiros vindos de outros países da América Latina com grandes quantidades de cocaína, que teria como destino a Europa.
A Polícia Federal intensificou a fiscalização para impedir que a nova rota de tráfico se estabeleça a partir de Porto Alegre.
“A nova rota se estabelece através do Peru, que não é um grande produtor, mas serve como canal de distribuição para outros países”, diz o delegado Mário Luiz Vieira, chefe da Delegacia de Entorpecentes da Polícia Federal no Rio Grande do Sul.
A primeira grande apreensão foi feita apenas dois meses após a inauguração da linha Porto Alegre-Portugal.
Ao todo, foram apreendidas 8 malas com cocaína no Aeroporto Internacional Salgado Filho em 16 de agosto de 2011.
A droga, com alto grau de pureza, estava escondida no revestimento interno da bagagem.
A desconfiança dos policiais quanto aos passageiros e às malas fez com que os três suspeitos acabassem presos em flagrante por tráfico de drogas. Os dois homens, de 28 e 34 anos, são dos estados de Maranhão e Rondônia, e a mulher, de 22 anos, é natural de Santa Catarina.
O trio embarcou em Porto Velho, capital de Rondônia, fez escala em São Paulo e foi abordado no aeroporto de Porto Alegre.

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes segue investigando a rede de tráfico vinculada ao caso.
Em 2012, em apenas uma semana a Polícia Federal decretou a prisão de dois estrangeiros que tentavam embarcar para Lisboa com carregamento de cocaína.
Em 2 de fevereiro, um espanhol de 48 anos demonstrou nervosismo na fila do embarque. Acostumados à fiscalização de rotina, os policiais identificaram o comportamento suspeito e revistaram a bagagem. O resultado foi a apreensão de 6.855 kg de cocaína escondidos em duas capas protetoras de notebook.
Em depoimento, o estrangeiro confessou que a encomenda era do Peru com destino a Bruxelas, na Bélgica.
Menos de 24 horas depois, uma mulher de cerca de 40 anos, natural da Lituânia, teve prisão decretada por carregar 6.640 kg de cocaína. O trajeto era o mesmo: ela vinha do Peru e tinha a Europa como ponto destino.
“Essas prisões surtem um efeito muito positivo no combate à criminalidade”, conta Vieira. “Vamos reforçar o policiamento usando cães farejadores daqui a alguns meses.”
Mas o principal objetivo da Polícia Federal é desbaratar quadrilhas internacionais.
“Não queremos prender apenas o ‘mula’, que é quem transporta”, afirma Vieira. “O interesse é pegar o grande traficante e dar um golpe na organização, desestruturando seus integrantes.”
A Polícia Federal também trabalha em conjunto com as polícias de outros países para combater o tráfico internacional de drogas.
Em dezembro do ano passado, por exemplo, foram apreendidos 1.200 kg de cocaína e presos 8 traficantes na ilha de Martinica, na França. O resultado foi alcançado graças ao trabalho da Polícia Federal do Brasil em conjunto com as polícias da Inglaterra e da França.
Share