Navio da Marinha de Guerra do Peru cumpre seu segundo cruzeiro de instrução

Peruvian Navy Ship Completes Second Training Cruise

Por Gonzalo Silva Infante/Diálogo
novembro 20, 2017

Após uma expedição pelas águas do Pacífico, do Atlântico e do Caribe, o navio-escola BAP Unión da Marinha de Guerra do Peru (MGP) concluiu sua segunda viagem de instrução ao exterior VIEX–2017. Ele voltou ao porto de origem na Base Naval de Callao em 5 de novembro de 2017, após recorrer 18.000 milhas durante seis meses.

“Vocês voltaram saudáveis, pessoas e marinheiros melhores”, disse o ministro da Defesa do Peru Jorge Nieto Montesinos aos cadetes que participaram da viagem. Acompanhado pelo Almirante-de-Esquadra Gonzalo Nicolás Ríos Polastri, comandante geral da MGP, Nieto recebeu os 347 tripulantes, entre eles 83 cadetes do terceiro ano da Escola Naval do Peru.

Formação em alto-mar

“Tenho o privilégio, com esta promoção, de ser um dos poucos a ter esta formação”, disse ao chegar o Cadete Richard Valdez Ticona. Por sua parte, o Cadete Fernando Luque Pereyra destacou a liderança dos oficiais do BAP Unión. “Foi um trabalho árduo, mas em equipe”, disse o Cadete Pereyra. “Havia a confiança dos oficiais [...]. No meu caso, sinto que tivemos oficiais de primeira, excelentes profissionais com os quais espero encontrar no futuro para trabalharmos juntos.”

A segunda viagem de instrução do Unión foi a primeira a fazer escala na Europa. No total, o navio visitou 18 portos em 12 países desde que zarpou de Callao em 11 de maio: Balboa e Colón, no Panamá; Jacksonville, Norfolk e Boston, nos Estados Unidos; Charlottetown, no Canadá; Londres, na Inglaterra; Hamburgo, na Alemanha; Roterdã, na Holanda; Le Havre, na França; La Coruña, Cádiz e Santa Cruz de Tenerife, na Espanha; Lisboa, em Portugal; Santo Domingo, na República Dominicana; Guayaquil, no Equador; e Paita, no Peru.

Durante a missão em alto-mar, os cadetes receberam um treinamento teórico-prático que lhes permitiu reforçar suas habilidades marítimas em condições reais. Os alunos aprenderam a trabalhar em equipe e participaram de lições de navegação astronômica, meteorologia, oceanografia e manobras de velas.

“Iniciamos com uma fase de treinamento: o curso foi ministrado no navio-escola a vela durante 20 dias até que chegamos ao porto de Jacksonville [Estados Unidos]”, disse à Diálogo o Capitão-de-Mar-e-Guerra da MGP Franz Bittrich Ramírez, comandante do navio. “Depois começamos um treinamento por equipes por cada mastro.”

Missão polivalente

Além de ser um cruzeiro de treinamento, o BAP Unión cumpre uma missão diplomática e promove a cooperação e amizade entre as forças armadas de nações parceiras. Como tal, além de oficiais, cadetes, pessoal técnico e marinheiros peruanos, também integraram a equipe do navio oficiais da Colômbia, do Equador, México e Canadá.

O navio serviu como embaixada itinerante e dividiu a cultura peruana com os milhares de pessoas que subiram a bordo. Os tripulantes foram recebidos por oficiais militares e civis de cada país e participaram de diferentes eventos e visitas culturais, como a museus da marinha. Também realizaram a tradicional homenagem ao Almirante-de-Esquadra da MGP Miguel Grau nos portos estrangeiros onde está o busto do herói naval peruano.

“Estar nesses 12 países me ajudou a adquirir cultura, a ser um homem do mundo”, disse o Cadete Valdez. “Aprende-se sobre a formação náutica, marinheira e, além de tudo, é um orgulho chegar a cada porto e encontrar sempre um peruano esperando por você.”

Construído para se destacar

Em sua viagem pelo mundo, o navio também participou de vários eventos marítimos que serviram de treinamento para os cadetes. Nos EUA, o BAP Unión ganhou a categoria de Grandes Veleiros no desfile naval Sail Boston 2017, que ocorreu em meados de junho. No Canadá, o navio terminou em primeiro lugar a corrida 4 da regata internacional Rendez-Vous 2017 Tall Ships Regatta, que comemorou os 150 anos da Confederação Canadense. Segundo o CMG Bittrich, além das lições teóricas, “o treinamento serviu para ganhar a competição”.

Inaugurado em dezembro de 2014, o navio de quatro mastros BAP Unión conta com mais de 115 metros de comprimento, 13,5 metros de largura e 34 velas. Além disso, o BAP Unión tem um deslocamento de 3.200 toneladas e alcança uma velocidade de 12 nós. O veleiro, construído no estaleiro de Serviços Industriais da Marinha do Peru com o apoio da Espanha, é o segundo maior navio-escola do mundo.

Uma forma de vida

Um momento emotivo na chegada do BAP Unión ocorreu quando quatro de seus tripulantes conheceram seus filhos, que nasceram durante a missão. “É muito gratificante ver meu filho depois de tanto tempo navegando”, compartilhou o Técnico Terceiro Manobrista Yosep Cántaro García. “Eu soube que ele nasceu em 19 de julho, quando estávamos navegando perto de Londres, e me emocionei bastante.” Por sua vez, o Segundo-Tenente Diego Zárate García sentiu-se grato. “Foram seis meses nos quais não pude estar com minha filha, mas agora estou muito feliz.” Para o CMG Bittrich, o significado de unir-se à MGP se resume em uma frase: “A Marinha não é um trabalho, e sim uma forma de vida, e é necessário fazer sacrifícios pela vida”.

O processo de planejamento para a terceira missão do BAP Unión já está acontecendo. Incluirá quatro meses de planejamento e testes de navegação em março de 2018. Quanto à segunda missão cumprida, o CMG indicou sua satisfação. “Estou confiante de que o futuro da Marinha está garantido com esses cadetes”, concluiu. “Estamos entregando à Escola Naval um grupo humano coeso, com valores firmes e convicções.”
Share