Enfermeiros iraquianos aprenderam como reanimar bebês

Peruvian Blue Helmets Fostering Peace

Por Dialogo
dezembro 09, 2010


Médicos do Exército dos EUA ensinaram técnicas de salvamento de vidas a seus contrapartes da Força de Segurança Iraquiana, como parte da missão de orientação e assistência da Operação Nova Aurora. Agora esses médicos militares estão levando seus conhecimentos para a sala de parto.

Em 2 dias de aulas, soldados do Centro da Divisão dos Estados Unidos ensinaram a cerca de 20 enfermeiros e parteiras iraquianos técnicas de reanimação neonatal, nos dias 28 e 29 de novembro, no Centro Governamental Provincial Al Anbar, no Iraque.

“O Iraque tem um alto índice de nascimentos, mas também uma alta taxa de mortalidade neonatal, e esse treinamento ajudará”, disse o principal instrutor da turma, tenente-coronel Vincent Barnhart, cirurgião da 1ª Divisão Blindada, nascido em Chambersburg, Pensilvânia.

Os médicos do Exército ensinaram aos enfermeiros iraquianos os passos básicos a serem tomados com um bebê após o nascimento e os procedimentos apropriados, através de palestras e exercícios práticos.

“Os cuidados médicos iniciais nos primeiros minutos de vida de um bebê são cruciais”, disse o capitão Baruch Zobrist, médico assistente do Batalhão de Tropas Especiais da Brigada, 4ª Brigada de Orientação e Assistência, 3ª Divisão de Infantaria, Centro da Divisão dos Estados Unidos. “Estatisticamente, nove em cada 10 bebês nascem saudáveis, e os que pertencem à taxa de 1% que apresentam problemas geralmente podem ser tratados com a ventilação apropriada”.

Os médicos ensinaram o uso de ventilação por pressão positiva com uma máscara bolsa-válvula aos enfermeiros, que disseram que eles costumam usar antibióticos para tratar das crianças que não respondem.

“A máscara bolsa-válvula é um equipamento que eles não costumam usar”, disse o capitão John Pillen, médico assistente do 1º Batalhão, 76º Regimento de Artilharia de Campo, 4º AAB. “Foi uma novidade para eles – uma nova habilidade, uma nova ideia. No início, eles se mostraram um pouco hesitantes em aceitá-la, porque era uma coisa nova, mas eu acho que acabaram por acatar a ideia e estão ansiosos para levar a novidade para seu país, para suas comunidades, e utilizá-la para melhorar as vidas dos bebês”.

Os participantes receberam um kit de treinamento e um kit de sala de parto, doados por uma organização não governamental dos EUA. O kit de treinamento inclui um estetoscópio, um sugador, uma máscara bolsa-válvula, toalhas e um manequim de bebê.

“Agora eles têm todas as ferramentas de que necessitam”, garantiu Barnhart, que incentivou os enfermeiros a passarem os conhecimentos a outros em sua comunidade, aumentando potencialmente as chances de se salvarem vidas.



Share