Exército peruano e Polícia Nacional destroem pistas de pouso clandestinas

Por Dialogo
fevereiro 04, 2015



Trabalhando em cooperação, soldados do Exército peruano e agentes da Polícia Nacional destruíram seis pistas de pouso clandestinas utilizadas por narcotraficantes, durante uma operação conjunta na região do Vale dos Rios Apurimac, Ene e Mantaro (VRAEM).

A operação fazia parte do compromisso entre o Exército e a Polícia Nacional para reprimir narcotraficantes e melhorar a segurança e o desenvolvimento no VRAEM, onde grupos do crime organizado cultivam ilegalmente grandes quantidades de coca, o principal ingrediente usado na produção de cocaína. As pistas de pouso ficavam na província de Satipo, na região de Junín.

O Exército e a Polícia Nacional não anunciaram prisões.

O grupo terrorista Sendero Luminoso utiliza pistas clandestinas para transportar drogas, que financiam suas atividades criminosas. O grupo guerrilheiro, muitas vezes, paga aos moradores locais para repararem as pistas de pouso depois que são desativadas, obrigando as Forças Armadas e a Polícia Nacional a reforçar a vigilância nos focos de narcotráfico.

Desde 2011, as forças de segurança peruanas destruíram 60 pistas de pouso clandestinas utilizadas por narcotraficantes. A maioria das pistas media 500 metros de comprimento e 10 metros de largura. A maior parte estava na região do VRAEM.

O Peru está trabalhando em conjunto com a vizinha Bolívia para combater o narcotráfico. Os narcotraficantes transportam cerca de metade das 450 toneladas de cocaína produzidas anualmente no Peru para a Bolívia.

Em 2012, as organizações criminosas cultivaram mais de 60.000 hectares de coca no Peru, que abriga 13 regiões cocaleiras. A maior parte da coca cultivada no país – 93% – é utilizada para produção de drogas ilícitas, e o restante é destinado ao consumo tradicional e ao uso industrial, de acordo com a Comissão Nacional para o Desenvolvimento e Vida sem Drogas (DEVIDA).

Exército Nacional da Colômbia erradica plantação de coca


Soldados do Exército Nacional colombiano erradicaram recentemente uma plantação ilegal de 9,5 hectares de coca e destruíram um laboratório de cocaína usado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) no estado de Meta.

As tropas apreenderam 416 litros de cocaína líquida, além de equipamentos utilizados para produzir a droga no laboratório, que era operado pela Frente 43 das FARC no município de Puerto Rico.

Em outra operação, na aldeia de El Danubio, soldados erradicaram uma plantação ilegal de coca de 9,5 hectares que estava sendo usada para produzir cocaína pelo Bloco Leste das FARC, o maior grupo narcotraficante do país. O Exército não anunciou prisões.


Trabalhando em cooperação, soldados do Exército peruano e agentes da Polícia Nacional destruíram seis pistas de pouso clandestinas utilizadas por narcotraficantes, durante uma operação conjunta na região do Vale dos Rios Apurimac, Ene e Mantaro (VRAEM).

A operação fazia parte do compromisso entre o Exército e a Polícia Nacional para reprimir narcotraficantes e melhorar a segurança e o desenvolvimento no VRAEM, onde grupos do crime organizado cultivam ilegalmente grandes quantidades de coca, o principal ingrediente usado na produção de cocaína. As pistas de pouso ficavam na província de Satipo, na região de Junín.

O Exército e a Polícia Nacional não anunciaram prisões.

O grupo terrorista Sendero Luminoso utiliza pistas clandestinas para transportar drogas, que financiam suas atividades criminosas. O grupo guerrilheiro, muitas vezes, paga aos moradores locais para repararem as pistas de pouso depois que são desativadas, obrigando as Forças Armadas e a Polícia Nacional a reforçar a vigilância nos focos de narcotráfico.

Desde 2011, as forças de segurança peruanas destruíram 60 pistas de pouso clandestinas utilizadas por narcotraficantes. A maioria das pistas media 500 metros de comprimento e 10 metros de largura. A maior parte estava na região do VRAEM.

O Peru está trabalhando em conjunto com a vizinha Bolívia para combater o narcotráfico. Os narcotraficantes transportam cerca de metade das 450 toneladas de cocaína produzidas anualmente no Peru para a Bolívia.

Em 2012, as organizações criminosas cultivaram mais de 60.000 hectares de coca no Peru, que abriga 13 regiões cocaleiras. A maior parte da coca cultivada no país – 93% – é utilizada para produção de drogas ilícitas, e o restante é destinado ao consumo tradicional e ao uso industrial, de acordo com a Comissão Nacional para o Desenvolvimento e Vida sem Drogas (DEVIDA).

Exército Nacional da Colômbia erradica plantação de coca


Soldados do Exército Nacional colombiano erradicaram recentemente uma plantação ilegal de 9,5 hectares de coca e destruíram um laboratório de cocaína usado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) no estado de Meta.

As tropas apreenderam 416 litros de cocaína líquida, além de equipamentos utilizados para produzir a droga no laboratório, que era operado pela Frente 43 das FARC no município de Puerto Rico.

Em outra operação, na aldeia de El Danubio, soldados erradicaram uma plantação ilegal de coca de 9,5 hectares que estava sendo usada para produzir cocaína pelo Bloco Leste das FARC, o maior grupo narcotraficante do país. O Exército não anunciou prisões.
Share