Peru e Estados Unidos trocam experiências sobre Operações de Informação

Peru, US Exchange Knowledge on Information Operations

Por Gonzalo Silva Infante/Diálogo
outubro 19, 2018

Oficiais peruanos participaram de um intercâmbio de conhecimentos sobre Operações de Informação (OI) promovido pelo Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM), com o apoio da 8ª Divisão de Operações de Informação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas do Peru (8VA DIEMCFFAA). Trata-se do Seminário Bilateral de OI realizado entre os dias 10 e 14 de setembro, no Centro de Treinamento Tático Computadorizado do Exército do Peru, localizado em Lima.

O objetivo do seminário foi promover o fortalecimento e a aplicação prática das capacidades militares na área de OI, através do intercâmbio de experiências e das lições aprendidas. O encontro também permitirá às Forças Armadas do Peru implementar as melhores práticas e desenvolver metodologias em apoio aos esforços estratégicos para combater as ameaças da região.

“Essas oficinas servem para trocar informações e em seguida adaptá-las à realidade própria”, disse à Diálogo o Coronel do Exército do Peru Jorge Reyes Gutiérrez, diretor da Escola de Operações Psicológicas do Exército. “Já vimos exercícios que não deram certo quando tentamos aplicar [a informação] diretamente, porque se trata de uma outra realidade, não apenas social e econômica, mas também cultural – o homem da costa, da serra ou da selva não é o mesmo.”

Participaram do seminário 50 militares em total, entre oficiais alunos da Escola de Operações Psicológicas do Exército e membros de cada ramo das Forças Armadas do Peru. Cerca de cinco membros do Comando Especial do Vale dos Rios Apurímac, Ene e Mantaro (VRAEM) também participaram do encontro.

“Um dos objetivos do evento era assimilar a experiência que eles [os EUA] têm em Operações de Informação, pois trabalham em todo o mundo”, disse à Diálogo o Coronel do Exército do Peru Emilio Rodríguez Freundt, chefe da 8VA DIEMCFFAA. “Eles têm a experiência e já a desenvolveram; era isso que queríamos fazer.”

Visão moderna

A primeira fase do seminário consistiu em três dias de apresentação de conceitos doutrinários de OI e casos específicos. O evento culminou com dois dias de exercícios práticos em grupos e apresentações de produtos.

Planejadores estrategistas do SOUTHCOM conduziram os diálogos sobre os conceitos de OI, a organização da divisão e sua interação com capacidades conexas. Além disso, os representantes americanos abordaram o planejamento das OI no âmbito estratégico.

“O curso foi importante porque levamos membros do Comando Sul, que são veteranos com muita experiência na região”, disse o Tenente-Coronel do Exército dos EUA Eduardo Lauer, oficial de ligação das forças especiais da Embaixada dos EUA no Peru. “Queríamos voltar nosso foco para um nível além do tático, o nível operacional.”

As apresentações incluíram uma exposição e análises das operações do Exército Brasileiro (EB) nas favelas do Rio de Janeiro feitas por um tenente-coronel do EB, aluno internacional da Escola de Operações Psicológicas do Exército do Peru. Outra apresentação abordou a situação no VRAEM, que continua sendo um epicentro peruano para o crime organizado, grupos armados e narcotraficantes.

“O problema que enfrentamos no Peru não é operacional, é tático”, explicou o Cel Reyes. “Quando [os militares] vão ao VRAEM as soluções que surgem são táticas e não operacionais. É certo que o mais fácil é aplicar a força, mas o problema em si não é apenas militar, e a solução tampouco é 100 por cento militar. Essa visão clássica, anacrônica, de que tudo se soluciona pela via militar, como diria Maquiavel, já não é mais a visão moderna.”

Não guerra

Os participantes encerraram o seminário com exercícios práticos, apresentando planos estratégicos de OI desenvolvidos em grupo com base em um cenário de terrorismo, cujas atividades de tráfico de drogas, armas e pessoas, entre outros, desestabilizavam uma região. Divididas em várias mesas de trabalho, as equipes militares compartilharam ideias – contando com o apoio dos especialistas e as lições de operações reais previamente detalhadas – para abordar os problemas e buscar soluções de não guerra.

O seminário “foi muito proveitoso”, afirmou o Cel Rodríguez, destacando que o Estado-Maior Conjunto tem apenas cinco anos de atividade no setor de OI. A 8VA DIEMCFFAA e o SOUTHCOM coordenaram o seminário em conjunto pela segunda vez – o primeiro encontro foi realizado em 2016.

“O nível adquirido pelos alunos dará frutos com o tempo”, concluiu o Cel Rodríguez. “Foi tão bom que decidimos que no próximo ano esse seminário será realizado novamente, para que ele permaneça no tempo, para que não se perca e que seja possível fazer, dentro das possibilidades, dois seminários no próximo ano. Definitivamente, espera-se que ele continue.”
Share