Peru inaugura armazém para fazer frente a desastres naturais

Peru Inaugurates Warehouse to Aid Efforts During Natural Disasters

Por Dialogo
janeiro 12, 2016




Com o apoio do Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM), o governo peruano inaugurou recentemente na região de Tacna um armazém para estocagem de equipamentos e outros bens que ajudarão as Forças Armadas do Peru e outros órgãos governamentais a enfrentar desastres naturais.

O Centro de Operações de Emergência Regional (COER) inaugurou o Armazém Regional de Defesa Civil para a Ajuda Humanitária durante um ato em 10 de dezembro, que contou com a presença de autoridades locais e representantes das Forças Armadas, da Polícia Nacional e do Comando Sul. O armazém ocupa mais de 1.130 metros quadrados na sede do COER, no distrito de Gregorio Albarracín Lanchipa.

O Comando Sul contribuiu com US$ 670.000 para a construção da instalação. O COER foi financiado e construído com a ajuda do Programa de Assistência Humanitária (HAP) do Comando Sul em 2013. Desde 2009, o Comando Sul apoia o Peru, tendo destinando mais de US$ 20 milhões para projetos de infraestrutura, equipamentos e treinamento de pessoal operacional.

Alta capacidade de armazenamento


O armazém tem capacidade para abrigar cerca de 3.500 metros cúbicos de materiais, permitindo estocar suprimentos humanitários como alimentos, cobertores e tendas que beneficiarão 1.000 famílias.

“[O armazém] faz parte de um modelo de gestão sustentável e participativo em que as autoridades e os cidadãos podem coordenar esforços de prevenção e preparar-se para enfrentar potenciais desastres, assim como desenvolver a capacitação e os treinamentos necessários para essas situações”, diz o Capitão de Corveta da Marinha dos EUA Robert Storer, do Grupo Consultivo de Assistência Militar do SOUTHCOM no Peru.

“Este armazém pertence ao governo regional de Tacna (GRT), responsável por abastecê-lo com pessoal da Defesa Civil e suprimentos de ajuda humanitária que possam ser distribuídos às comunidades afetadas em caso de desastre ou enviados a armazéns municipais, com o objetivo de melhorar as capacidades de resposta das autoridades locais”, diz o CC Storer.

Como parte do apoio permanente aos esforços de segurança do Peru, um grupo de especialistas do Comando Sul realizará um treinamento para técnicos da Defesa Civil e funcionários do COER sobre gestão do armazém. “Não se trata de um armazém qualquer. Exige um manejo especial que eles (Comando Sul) desenvolveram”, disse o governador regional de Tacna, Omar Jiménez Flores, em um vídeo divulgado em 10 de dezembro.

Para as Forças Armadas do Peru, a doação representa “um complemento ideal para prestar ajuda humanitária imediata em caso de emergências e desastres naturais”, disse o Major-Brigadeiro Rodolfo García Esquerre, Comandante de Operações da Força Aérea Peruana, em entrevista a Diálogo
.

Peru prepara-se para desastres naturais


O armazém ajudará as Forças Armadas a responder de maneira rápida e eficaz aos desastres naturais, que são uma ameaça constante. As características geológicas, tectônicas, topográficas, meteorológicas e oceanográficas do Peru o tornam extremamente vulnerável a catástrofes naturais. Terremotos, chuvas torrenciais, inundações e deslizamentos de terra na região de Tacna comprometem a segurança da população e o desenvolvimento de infraestrutura.

Especialistas do Instituto Nacional de Defesa Civil do Peru (INDECI) e do escritório executivo da Defesa Nacional do GRT advertiram que um terremoto de magnitude 9 na escala Richter poderia afetar 60% da população, informou o Diario Correo
em 10 de dezembro. Diante desse cenário, o GRT – com a ajuda do programa HAP do Comando Sul – iniciou a construção do armazém em 16 de abril de 2014.

O Exército, a Marinha e a Força Aérea do Peru “valorizam muitíssimo o apoio do Comando Sul”, segundo o Maj. Brig. García Esquerre. “Isso demonstra a preocupação dos EUA em fortalecer as capacidades do Estado peruano na resposta aos desastres naturais. [O armazém] será extremamente útil para a estocagem de material de ajuda humanitária porque as linhas de comunicação às vezes são interrompidas durante situações decorrentes do fenômeno [meteorológico] do El Niño”, afirmou.

“É necessário que a ajuda chegue com antecedência ao lugar para ser distribuída”, explicou. “Isso nos dá flexibilidade e a possibilidade de ser mais eficientes no transporte da ajuda humanitária.”

Cooperação permanente


A contribuição para as obras do armazém reflete o compromisso constante dos EUA de trabalhar com o Peru para “alcançar um desenvolvimento com inclusão social, melhor acesso aos serviços e melhor preparação para prevenir incidentes de desastres naturais”, diz o CC Storer. Desde 2009, o Comando Sul, através do HAP, “apoia os sistemas de saúde, educação e gestão de desastres no Peru, e instalações similares foram ou estão sendo construídas em 18 regiões do país”.

Através do HAP, o Comando Sul investiu US$ 1,25 milhão no primeiro COER da região de Lambayeque, inaugurado em março de 2013 e dotado de um centro de operações e um centro de treinamento de militares para missões de busca e resgate em edifícios desmoronados, além de equipamentos. Os oficiais do HAP geralmente trabalham com o Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA (USACE) para viabilizar a implantação desses projetos no Peru.

“O USACE solicita ofertas de empreiteiras, muitas das quais são empresas peruanas”, diz o CC Storer. “A empreiteira é responsável por proporcionar um projeto final ao USACE e pela construção das instalações. O USACE se encarrega da supervisão e do controle de qualidade do projeto.”

Além de ajudar a reforçar as capacidades de resposta a desastres naturais, o HAP financia a construção de escolas, clínicas e pontes em todo o país. “O HAP financia projetos de menor escala, como doações de suprimentos médicos e obras em regiões distantes de Lima que beneficiam as comunidades suscetíveis à influência de narcotraficantes e terroristas”, diz o CC Storer.

O Comando Sul coopera com os países da América Central, do Caribe e da América do Sul em uma ampla gama de temas de segurança. “Outra grande contribuição do Comando Sul ocorre em áreas de segurança e defesa, por meio de tecnologia, treinamento e troca de experiências com as Forças Armadas”, diz o Maj. Brig. García Esquerre. “Todas essas ações fortalecem os laços de cooperação e amizade entre os EUA e o Peru.”
Share