Paraguai incinera carregamento recorde com 36 toneladas de maconha

Paraguai incinera carregamento recorde com 36 toneladas de maconha

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
outubro 21, 2021

No dia 17 de setembro de 2021, agentes da Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) do Paraguai incineraram 36 toneladas de maconha no estado de Concepción.

“Foi a maior incineração de drogas já realizada em nosso país”, disse a SENAD em um comunicado. O recorde anterior havia sido registrado em 2014, após a apreensão de 26 toneladas em Capitán Bado, estado de Amambay.

A incineração das 36 toneladas foi realizada na base do Comando de Operações de Defesa Interna, em Concepción. O carregamento foi detectado no dia 23 de julho por militares da Força-Tarefa Conjunta, durante um sobrevoo de rotina no distrito de Paso Barreto.

Os agentes antidrogas do Paraguai confiscaram mais de 35.000 comprimidos de êxtase no dia 16 de setembro, no Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi. (Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)

De um helicóptero, os militares perceberam “a atividade de um grupo de pessoas carregando bolsas para caminhões de grande porte em uma propriedade rural, em uma área parcialmente arborizada”, informou na ocasião o site ADN Digital do Paraguai. Os militares detiveram quatro pessoas que armazenavam o carregamento, que seria enviado ao Brasil.

“Parte da droga já havia sido carregada em um caminhão de grande porte para ser depois levada ao território brasileiro”, disse o jornal ABC do Paraguai. Após essa mega-apreensão, a SENAD iniciou uma investigação para elucidar a estrutura do grupo criminoso responsável pela droga.

“Após trabalhos de inteligência, ativamos a Operação HORSE, com a captura do dono do carregamento e de seus principais colaboradores”, informou a SENAD no dia 16 de setembro. Os agentes realizaram seis incursões em Pedro Juan Caballero, Horqueta e Concepción.

“Rodrigo Florencio Pedrozo Agüero, conhecido como Kavajú, é o membro principal da estrutura criminosa, que já se encontra detido”, informou a SENAD.

O Paraguai é o maior produtor de maconha da América do Sul e o Brasil é seu principal destino, seguido do Chile e da Argentina, informou a agência EFE. “Em geral, os cultivos ficam a cargo de trabalhadores rurais da região, que se dedicam a vigiar e armazenar” a droga, disse a EFE.

35.000 comprimidos de êxtase

Nesse mesmo dia 16 de setembro, os agentes da SENAD confiscaram mais de 35.000 comprimidos de êxtase no Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi. Os comprimidos estavam em poder de um passageiro estrangeiro que chegou em um voo procedente de Frankfurt.

“Presume-se que a droga seria enviada à região da Tríplice Fronteira”, informou a SENAD. Um vídeo divulgado pela agência antidrogas mostra que os comprimidos estavam escondidos nas duas malas do passageiro.

“Os agentes especiais o apartaram para realizar uma inspeção depois de um alerta”, informou o jornal paraguaio Última Hora. “Ao abrir as malas do cidadão estrangeiro, descobriram que as paredes internas estavam repletas de comprimidos de êxtase ou MDMA.” Segundo a SENAD, a droga seria avaliada em cerca de US$ 800.000 no mercado paraguaio.

Share