Paraguai: cães da SENAD detectam drogas em cremes, brinquedos, garrafas e cartões-postais

Paraguai: cães da SENAD detectam drogas em cremes, brinquedos, garrafas e cartões-postais

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
fevereiro 03, 2021

Graças a seus cães farejadores, a Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) do Paraguai descobriu métodos peculiares de ocultamento de narcóticos no Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, na região metropolitana de Assunção.

No dia 23 de novembro de 2020, os agentes abriram dois pacotes enviados pelo correio que tinham sido apreendidos dias antes, com o objetivo de revelar os métodos utilizados pelos narcotraficantes.

O cão Erick detectou um pacote que estava destinado ao Sri Lanka, com mais de 8 kg de cocaína líquida em cremes para cabelos, cosméticos e kits infantis para fazer bolhas de sabão. (Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)

Um dos pacotes continha 34 latas de pêssegos em calda, mas o cão Asterix detectou a presença de drogas em seu interior. “Dentro das latas encontramos mais de 17 quilos de maconha ‘VIP’ [com alta concentração de THC]”, informou a SENAD.

As latas de pêssegos vinham de San Diego, Califórnia, e tinham como destino Ciudad del Este, na Tríplice Fronteira.

Outro pacote, que seria enviado à Índia, continha 463 gramas de cocaína escondida em livros infantis, como o da Chapeuzinho Vermelho. “O cão Bono deu o sinal de alerta para o início do procedimento”, disse a SENAD.

No dia 11 de novembro, os agentes abriram outros cinco pacotes detectados pelos cães. Um deles, que seria enviado à Austrália, continha duas garrafas de kombucha (um chá fermentado) com mais de 3 kg de cocaína líquida, além de 528 gramas de cocaína escondida na moldura de um quadro.

“O pacote foi retido graças à intervenção dos Agentes Especiais e de Vanna, nossa farejadora de drogas”, informou a SENAD.

Outro pacote, também destinado à Austrália, continha 1 kg de cocaína impregnada em 12 cartões-postais de pontos turísticos da América do Sul. A droga foi detectada pelo cão Vito.

O cão Erick detectou o terceiro pacote, que seria enviado ao Sri Lanka e continha mais de 8 kg de cocaína líquida escondida em cremes para cabelos, cosméticos e kits infantis para fazer bolhas de sabão.

Erick também farejou o quarto pacote, que seria destinado a Hong Kong. “Nele foram encontrados dois catálogos de máquinas industriais, cujas folhas estavam impregnadas com 1 kg de um produto com 816 gramas de cocaína”, informou o jornal paraguaio Última Hora.

Com a ajuda do cão Zack, os agentes apreenderam o quinto pacote, que seria enviado a Hong Kong, com duas jaquetas e uma camiseta da seleção paraguaia. “Havia 627 gramas de cocaína nos recheios das jaquetas”, informou a SENAD.

Share