Presidente do Panamá quer ‘repatriar’ tripulação de navio norte-coreano

Por Dialogo
julho 29, 2013



CIDADE DO PANAMÁ, Panamá – O presidente panamenho, Ricardo Martinelli, disse em 26 de julho que deseja “algum tipo de acordo” para permitir que os 35 tripulantes detidos a bordo de um navio norte-coreano voltem para casa. O barco foi apreendido por transportar armas cubanas não declaradas.
Os tripulantes da embarcação com bandeira norte-coreana Chong Chon Gang foram acusados de tráfico de armas depois que mísseis, dois caças e outros armamentos foram confiscados.
Eles podem pegar até seis anos de prisão.
“Diplomaticamente, deve-se buscar algum tipo de acordo para repatriá-los à Coreia do Norte”, disse Martinelli ao canal Telemetro.
Panamá e Coreia do Norte não mantêm relações diplomáticas.
Autoridades do lado caribenho do Canal do Panamá vistoriaram a embarcação em 10 de julho porque suspeitavam que levasse drogas ilegais.
Em vez de drogas, encontraram equipamentos de mísseis e aviões.
Cuba alega que a carga do Chong Chon Gang eram armas “obsoletas” que haviam sido enviadas à Coreia do Norte para reparos.
As autoridades panamenhas aguardam a chegada, em 5 de agosto, de uma equipe do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para examinar as armas e determinar se a Coreia do Norte e Cuba violaram as sanções da ONU.

[AFP (Panamá), 27/07/2013; Telemetro (Panamá), 27/07/2013]

Share