Forças de segurança do Panamá apreendem grande volume de drogas

Por Dialogo
abril 27, 2015



Forças de segurança e a Polícia Nacional apreenderam mais de 13 toneladas de drogas nos três primeiros meses de 2015 – mais do que o dobro do total apreendido no mesmo período do ano anterior.

A Polícia Nacional apreendeu 6,5 t de narcóticos, incluindo cocaína. O Serviço Nacional Aeronaval (SENAN) confiscou 4,1 t (a maior parte composta pelas mesmas drogas), enquanto o Serviço Nacional de Fronteiras (SENAFRONT) apreendeu 2,1 t de cocaína junto com pequenas quantidades de heroína. No primeiro trimestre de 2014, a Polícia Nacional, o SENAN e o SENAFRONT haviam retirado das ruas 6 t de narcóticos.

Os narcotraficantes pretendiam transportar as drogas para os Estados Unidos, a Europa, a América Central e ao longo do Panamá.

No primeiro trimestre de 2015, as forças de segurança e a Polícia Nacional conduziram um total de 806 casos relacionados a drogas, levando à prisão de 423 suspeitos. A cooperação internacional foi um componente importante desses esforços. Por exemplo, autoridades policiais panamenhas capturaram 28 dos suspeitos durante operações realizadas com forças de segurança de outros países e com as Forças Armadas dos EUA.

O Panamá também participa da Operação MARTILLO, uma missão multinacional para reprimir rotas de tráfico de drogas nas águas costeiras ao longo do istmo centro-americano. A operação MARTILLO reúne as forças de 11 países das Américas – Belize, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Peru, Canadá e Estados Unidos –, além de França, Holanda, Espanha e Reino Unido. Esses países trabalham juntos para combater o tráfico internacional de drogas, aumentar a segurança regional e promover a paz, a estabilidade e a prosperidade em todo o Caribe, a América Central e a América do Sul.

Desde 2009, o Panamá, um ponto-chave de transbordo para os traficantes de drogas, apreendeu mais de 276 toneladas de drogas. Cerca de 80% da cocaína que chega aos Estados Unidos é traficada através do México e da América Central, de acordo com o Relatório 2014 do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos das Nações Unidas.

O SENAN e o SENAFRONT são órgãos das Forças Policiais do Panamá, que protegem o país desde que o governo aboliu as Forças Armadas, em 1990.

Exército Nacional colombiano destrói explosivos pertencentes às FARC


Soldados da Sexta Divisão do Exército Nacional colombiano destruíram um laboratório de cocaína pertencente à 3ª Frente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), no estado de Meta.

Durante a operação, os militares apreenderam 250 quilos de folhas de coca, 24 kg de pasta de coca, 100 kg de cimento e 7,6 litros de ácido sulfúrico, entre outros suprimentos e materiais. O Exército não informou se foram capturados suspeitos.

O Exército continua solicitando aos moradores que usem o disque-denúncia 146 para informar qualquer atividade suspeita, enquanto prossegue no combate à violência e ao tráfico de mercadorias ilícitas em todo o país.


Forças de segurança e a Polícia Nacional apreenderam mais de 13 toneladas de drogas nos três primeiros meses de 2015 – mais do que o dobro do total apreendido no mesmo período do ano anterior.

A Polícia Nacional apreendeu 6,5 t de narcóticos, incluindo cocaína. O Serviço Nacional Aeronaval (SENAN) confiscou 4,1 t (a maior parte composta pelas mesmas drogas), enquanto o Serviço Nacional de Fronteiras (SENAFRONT) apreendeu 2,1 t de cocaína junto com pequenas quantidades de heroína. No primeiro trimestre de 2014, a Polícia Nacional, o SENAN e o SENAFRONT haviam retirado das ruas 6 t de narcóticos.

Os narcotraficantes pretendiam transportar as drogas para os Estados Unidos, a Europa, a América Central e ao longo do Panamá.

No primeiro trimestre de 2015, as forças de segurança e a Polícia Nacional conduziram um total de 806 casos relacionados a drogas, levando à prisão de 423 suspeitos. A cooperação internacional foi um componente importante desses esforços. Por exemplo, autoridades policiais panamenhas capturaram 28 dos suspeitos durante operações realizadas com forças de segurança de outros países e com as Forças Armadas dos EUA.

O Panamá também participa da Operação MARTILLO, uma missão multinacional para reprimir rotas de tráfico de drogas nas águas costeiras ao longo do istmo centro-americano. A operação MARTILLO reúne as forças de 11 países das Américas – Belize, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Peru, Canadá e Estados Unidos –, além de França, Holanda, Espanha e Reino Unido. Esses países trabalham juntos para combater o tráfico internacional de drogas, aumentar a segurança regional e promover a paz, a estabilidade e a prosperidade em todo o Caribe, a América Central e a América do Sul.

Desde 2009, o Panamá, um ponto-chave de transbordo para os traficantes de drogas, apreendeu mais de 276 toneladas de drogas. Cerca de 80% da cocaína que chega aos Estados Unidos é traficada através do México e da América Central, de acordo com o Relatório 2014 do Conselho Internacional de Controle de Narcóticos das Nações Unidas.

O SENAN e o SENAFRONT são órgãos das Forças Policiais do Panamá, que protegem o país desde que o governo aboliu as Forças Armadas, em 1990.

Exército Nacional colombiano destrói explosivos pertencentes às FARC


Soldados da Sexta Divisão do Exército Nacional colombiano destruíram um laboratório de cocaína pertencente à 3ª Frente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), no estado de Meta.

Durante a operação, os militares apreenderam 250 quilos de folhas de coca, 24 kg de pasta de coca, 100 kg de cimento e 7,6 litros de ácido sulfúrico, entre outros suprimentos e materiais. O Exército não informou se foram capturados suspeitos.

O Exército continua solicitando aos moradores que usem o disque-denúncia 146 para informar qualquer atividade suspeita, enquanto prossegue no combate à violência e ao tráfico de mercadorias ilícitas em todo o país.
Share