Os países da OEA decidem revogar a suspensão de Cuba aprovada em 1962

Por Dialogo
junho 04, 2009

San Pedro Sula (Honduras), 3 de junho (EFE) – Os chanceleres que participam da XXXIX Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) chegaram a um acordo consensual hoje para revogar a suspensão de Cuba, aprovada em 1962. O ministro das Relações Exteriores do Equador, Fander Falconi, anunciou em declarações à imprensa a decisão tomada hoje por consenso. “A medida foi aprovada neste momento, por consenso entre todos os chanceleres, e esta é uma boa notícia, que reflete as mudanças da época vivida agora na América Latina”, disse Falconi. O ministro equatoriano explicou que se chegou “a um consenso sobre um texto que não impõe condições e que não reivindica (...), que é abolir a exclusão de Cuba, decisão tomada no ano de 62”. “Muitos de nós nem havíamos nascido naquele momento, e o que faz essa geração é basicamente consertar a história e aqui temos um desafio para construir uma história digna”, acrescentou. A decisão foi tomada hoje, depois que os chanceleres de um grupo especial designado para tratar da questão se reuniram, na véspera, durante mais de seis horas, sem alcançar qualquer consenso. As opiniões enfrentadas eram daqueles que propunham a revogação da suspensão, sem condições, e dos que mencionavam a necessidade de que Cuba deveria assumir os compromissos de democracia e defesa dos direitos humanos adotados pelos demais países membros da organização. Os delegados dos 34 países concluem hoje as sessões plenárias da XXXIX Assembleia Geral da OEA.
Share