Nova força-tarefa auxilia vítimas do furacão Irma

New Task Force Supports Hurricane Irma Victims

Por Diálogo
setembro 19, 2017

O Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) estabeleceu a Força-Tarefa Conjunta-Leeward Islands (JTF-LI, por sua sigla em inglês) para dar apoio aos esforços de ajuda por causa do furacão Irma. As Ilhas Leeward são um grupo de mais de dez ilhas localizadas entre o nordeste do Mar do Caribe e o oeste do Oceano Atlântico. “A meta de nossos esforços em St. Martin é bem direta”, disse o Capitão-de-Mar-e-Guerra do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Michael Samarov, comandante da JTF-LI. Os governos da França e Holanda, que compartilham a ilha de Saint Martin, solicitaram a assistência dos EUA para ajudá-los em suas operações de auxílio para desastres lideradas pelo Escritório de Assistência a Desastres dos EUA no Estrangeiro da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID/OFDA, por sua sigla em inglês). O furacão Irma foi o primeiro furacão de categoria 5 a atingir as Ilhas Leeward em décadas. “Queremos salvar vidas e diminuir o sofrimento humano, e também aumentar a capacidade de resposta a emergências civis até que nossos esforços não sejam mais necessários”, disse o CMG Samarov. A JTF-LI está equipada com diversas capacidades de ajuda para desastres, inclusive comando e controle, avaliação humanitária, produção de água e transporte por helicóptero. O Centro Nacional de Furacões dos EUA descreveu o furacão Irma como o furacão mais poderoso jamais registrado no Atlântico. O furacão atingiu o leste do Caribe no início de setembro. Ele atingiu a terra na ilha de Barbuda no dia 6 de setembro antes de passar próximo às Bahamas, à República Dominicana e ao Haiti e atingindo a terra pela segunda vez em Cuba, no dia 9 de setembro. Irma trouxe ventos destrutivos, chuvas torrenciais e perigosas marés de tempestade, resultando em pelo menos 25 mortes e causando estrago significativo à infraestrutura em toda a região do Caribe. Capacidades da força-tarefa A JTF-LI é composta por cerca de 300 militares dos EUA e conta com o apoio de oito helicópteros, quatro aeronaves C-130 Hércules e o USNS Spearhead (T-EPF 1). Seu pessoal provém da Força-Tarefa de Terra, Mar e Ar para Fins Especiais do Comando Sul, Força-Tarefa Conjunta Bravo e outros elementos do SOUTHCOM. A força-tarefa é apenas um elemento da resposta dos EUA ao furacão Irma e permanecerá na área afetada para dar apoio às operações contínuas de ajuda lideradas pela USAID/OFDA, enquanto o governo dos EUA considerar necessário. “O furacão Irma desferiu um golpe terrível em St. Martin”, disse o Capitão-de-Mar-e-Guerra da Marinha dos EUA Steven Stacy, comandante da operação Estação de Parceria do Sul-Transporte Expedicionário Rápido 2017, dirigida pelo SOUTHCOM e destacada em junho pelas Forças Navais do Comando Sul. O CMG Stacy estava a bordo do Spearhead dando suporte ao trabalho de assistência humanitária da Marinha em St. Martin. “Houve mortes e grande parte da infraestrutura da ilha foi destruída. Nossos pensamentos e preces estão com as famílias e comunidades que foram afetadas pela tempestade. Estamos fornecendo o transporte aéreo pesado para dar apoio à USAID e às respostas humanitárias dos governos francês e holandês.” O USNS Spearhead parou na Estação Naval da Baía de Guantanamo para pegar suprimentos de assistência humanitária antes de chegar ao porto da ilha franco-holandesa de St. Martin. Enquanto estava no porto da Baía de Guantanamo, o Spearhead carregou 50.000 galões de combustível, 81.000 garrafas de água e 1.000 refeições prontas para comer. O combustível deve ser usado para sistemas de purificação de água por osmose reversa que estão sendo enviados para St. Martin. “Estamos dando apoio humanitário para os efeitos do furacão que afeta o Caribe”, disse o Capitão da Força Aérea dos EUA Scott Szalejko, piloto de C-17 Globemaster III da 437ª Ala de Transporte Aéreo/15º Esquadrão de Transporte Aéreo. Os membros da tripulação da 437ª Ala de Transporte Aéreo viajaram para Mountain Home em Idaho para transportar uma torre móvel de controle de tráfego aéreo para dar apoio às ilhas caribenhas que sofreram com o furacão. A torre foi fornecida pela Administração Federal de Aviação e foi solicitada pela Agência Federal de Gestão de Emergência para fornecer ajuda para St. Thomas, nas Ilhas Virgens dos EUA. “Nossos pensamentos e preces estão com os que sofreram perdas durante esse período... Temos a honra de ajudar de qualquer forma que pudermos”, disse o CMG Samarov.
Share