Napolitano propõe aliança contra o crime organizado

Por Dialogo
março 02, 2012


A secretária de Segurança Interior dos Estados Unidos, Janet Napolitano, encerrou em 29 de fevereiro, no Panamá, seu giro pela América Central e México, com um apelo para que se estabeleçam alianças para a luta contra o crime organizado.

“Comprometemo-nos a trabalhar com nossos colaboradores ao redor do mundo, incluindo a América Central, nos esforços para fortalecer a segurança”, disse Napolitano, que se reuniu com o presidente panamenho, Ricardo Martinelli.

“Enfrentamos diversas ameaças que afetam nossa segurança comum (mas) este desafio nos dá a oportunidade de criar alianças que nos beneficiem mutuamente, fortalecendo a segurança da fronteira, interrompendo e desarticulando as organizações transnacionais criminosas”, acrescentou.

No Panamá, a secretária norte-americana assinou três acordos de colaboração em segurança ligados ao intercâmbio de tecnologia e informações para combater o crime organizado.

“Estamos prontos para trabalhar com suas nações para interromper o movimento de criminosos e o contrabando e, em particular, compartilhar informações”, garantiu ela em um ato com autoridades panamenhas.

“Devemos identificar cada aspecto do crime transnacional, detendo o contrabando, processando os líderes criminosos e protegendo as comunidades”, e isto requer “alianças internacionais, porque nenhuma nação pode abordar essas ameaças de forma isolada”, acrescentou.

“É nossa meta trabalhar em conjunto para (…) que nossos países sejam mais seguros”, destacou.

Napolitano iniciou sua série de visitas no México e na Guatemala, no dia 27 de fevereiro, e no dia 28 visitou El Salvador e Costa Rica.

Passam pela América Central e México 90 por cento das drogas da América do Sul com destino aos Estados Unidos, segundo números oficiais.



Share