Seabees concluem reforma de escola no Peru

More Than 20,000 People Attended SITDEF 2011

Por Dialogo
maio 17, 2011

Acho que é bom o batalhão naval móbile ter começado um projeto com a meta de criar uma boa escola. Se o mundo fosse um batalhão, poderíamos fazer muitas coisas necessárias em todo mundo. O que deveríamos fazer é seguir o exemplo deles e doutrinar nossos filhos e filhas a construir um mundo melhor. Tem um ditado: “Melhores escolas igualam a melhor educação significando portanto melhores oportunidades.”
Os Seabees do Batalhão Móvel 28 de Construção Naval (NMCB 28) e fuzileiros do 8º Batalhão de Suporte de Engenharia realizaram uma cerimônia para cortar a fita inaugural, em 8 de maio, marcando o final de um projeto de reforma que durou nove dias na Escola Cruz Maria Miñan Quezada, em Huaca, Peru.

A equipe de 13 membros embarcou no USNS Comfort (T-AH 20), contribuiu com mais de 860 horas de trabalho no projeto de reforma, realizado como parte da Promessa Continuada 2011 (CP’11).

Além de diversas outras tarefas, a equipe reconstruiu uma sala de aula já existente, fez novas instalações elétricas e colocou ventiladores de teto em todas as salas, além de devolver a água corrente aos banheiros com os reparos na parte hidráulica.

“Estamos muito felizes porque as crianças poderão estudar em melhores condições e em um ambiente renovado”, disse Teddy Guzmán, administrador da escola.

A cerimônia deu aos líderes da CP’11 e à direção da escola uma oportunidade de falar à multidão de mães e crianças que se beneficiarão com essas reformas.

“Nós consideramos esse deslocamento como assistência humanitária, mas uma das grandes tarefas que realizamos é a construção de relacionamentos”, disse o comodoro Brian Nickerson, comandante da missão CP’11. “O que é verdadeiramente importante são os relacionamentos que construímos em nível pessoal. Vem sendo criada uma grande ligação entre nossos dois países ao longo dos anos, e vejo que os meninos e meninas daqui continuarão esse relacionamento”.

Nickerson disse que os momentos passados enquanto jogam futebol, respondem a perguntas, rindo e fazendo fotos junto com as crianças de La Huaca, deixarão lembranças que todos os envolvidos sempre valorizarão.

“Nós tiramos tanto proveito desses projetos quanto as crianças”, disse o oficial encarregado da NMCB 28 Ensign Tres Moreno, sobre os momentos que ele e sua equipe passaram com as crianças na escola.

Moreno disse que ele acha que o trabalho feito em Cruz Maria Miñan Quezada terá um impacto positivo na educação das crianças de La Huaca, bem como no relacionamento entre os Estados Unidos e o Peru.

“Escolas melhores equivalem a uma educação melhor, o que equivale a oportunidades melhores”, disse Moreno. “Esperamos que as reformas na escola lhes deem a oportunidade de fazer a diferença no mundo, e que possa também plantar uma imagem positiva dos norte-americanos sobre o povo peruano”.



Share