Militares dos Estados Unidos mobilizam equipes de busca e resgate em resposta ao terremoto no Haiti

Militares dos Estados Unidos mobilizam equipes de busca e resgate em resposta ao terremoto no Haiti

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
agosto 23, 2021

Após o terremoto de magnitude 7,2 que deixou cerca de 2.000 mortos no Haiti, no dia 14 de agosto de 2021, os militares dos Estados Unidos mobilizaram equipes para os trabalhos de busca e resgate.

O Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) criou a Força-Tarefa Conjunta-Haiti, em apoio à missão liderada pela Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID, em inglês).

No dia 18 de agosto, o navio de transporte USS Arlington (LPD 24) da Marinha dos EUA zarpou rumo ao Haiti com equipamentos cirúrgicos e uma lancha de desembarque. Além disso, oito helicópteros militares da Força-Tarefa Conjunta Bravo em Honduras voaram para a área do desastre, para fazer uma ponte aérea essencial em apoio à USAID.

Integrantes de uma equipe multitarefa da Força Aérea Colombiana embarcam rumo ao Haiti, onde prestarão assistência às vítimas do terremoto. (Foto: Presidência da Colômbia)

Colômbia, Chile e Argentina

Outros países das Américas também estão enviando ajuda ao Haiti.

“Ontem à noite [15 de agosto], duas aeronaves da Força Aérea Colombiana partiram com a equipe multitarefa USARCOL1, formada por 30 profissionais, dois cães e 18 toneladas de equipamentos especializados para busca e resgate e equipamentos médicos”, disse o presidente da Colômbia, Iván Duque, em sua conta no Facebook.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, enviou mais de 16 toneladas de ajuda humanitária em uma aeronave da Força Aérea do Chile. A ajuda inclui medicamentos, artigos de higiene, 11.000 litros de água e kits de alimentação com farinha, açúcar, macarrão, arroz, chá, atum, feijão, leite em pó, café e outros produtos, informou o Ministério das Relações Exteriores do Chile.

“Os chilenos sabem e conhecem o que significa um terremoto devastador e o que significa em termos de sofrimento e dor para as pessoas que vivem essas adversidades”, declarou o presidente Piñera. “Por isso, temos todas as razões do mundo para hoje acompanhar, prestar solidariedade e ajudar o povo haitiano nesse momento de tanta dor e angústia”, acrescentou Piñera.

O Chile também fornecerá transporte aéreo à Costa Rica e ao Panamá para que possam enviar recursos ao Haiti.

Por sua vez, o Ministério das Relações Exteriores da Argentina informou que “estão sendo tomadas medidas para coordenar a transferência de pessoal da Comissão dos Boinas Brancas ao Haiti”.

O objetivo é “prestar assistência sanitária e enviar voluntários para o gerenciamento de abrigos, mantendo, ao mesmo tempo, uma permanente comunicação com a Organização Pan-Americana da Saúde, para conhecer as necessidades sanitárias em caso de emergência”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores da Argentina.

Share