Militares da Guatemala evitam que toneladas de cocaína cheguem ao norte

Militares da Guatemala evitam que toneladas de cocaína cheguem ao norte

Por Julieta Pelcastre / Diálogo
março 20, 2020

Nos últimos três anos, as Forças Armadas da Guatemala confiscaram mais de 40 toneladas de cocaína em diversas operações. O Exército, a Marinha, a Força Aérea e a Polícia Nacional Civil enfrentam de forma coordenada e permanente coordenação o tráfico de drogas na região.

O Exército da Guatemala realiza patrulhamentos de rotina em diversos pontos do país para evitar ações ilícitas e garantir a segurança da população. (Foto: Exército da Guatemala)

“Graças à aquisição de equipamentos como radares da Força Aérea, embarcações da Marinha e armamento da força de terra [Exército e Polícia], realizamos diversas operações militares com sucesso”, disse à Diálogo o General de Brigada do Exército Juan Carlos Alemán Soto, ministro da Defesa Nacional da Guatemala. “Essa é a contribuição de nossas forças militares ao esforço regional de luta contra esse flagelo, com objetivo de evitar que as drogas cheguem ao seu destino final [os Estados Unidos].”

No dia 27 de janeiro de 2020, as autoridades interceptaram uma aeronave com 1.700 quilos de cocaína em San Andrés, no estado de Petén. Nessa operação, as unidades terrestres tiveram um confronto com os criminosos, que foram vencidos pelos militares, informou o Ministério de Interior.

Em 2019, as forças de segurança localizaram 54 aeronaves ilegais e, nas operações de reconhecimento, identificaram e destruíram 27 pistas de pouso clandestinas. Entre 2017 e 2018, os militares destruíram 19 pistas ilegais e interceptaram 20 aeronaves com drogas, acrescentou o Ministério.

A localização geográfica da Guatemala é um atrativo para o cultivo da folha de coca e é adequada como ponto de trânsito em direção ao norte, informou a fundação InSight Crime, que estuda o crime organizado na América Latina. Os narcotraficantes tentam transformar a América Central em uma região produtora de cocaína, para traficar para os Estados Unidos e a Europa e reduzir a logística complexa e dispendiosa de fazê-lo a partir da América do Sul, acrescentou a agência internacional de notícias Reuters.

“A combinação entre narcotráfico, crime organizado e violência se manifesta principalmente nas áreas urbanas, onde contribuímos para o esforço realizado por outras instituições”, disse o Gen Bda Alemán. “Mas os criminosos tentam tornar vulneráveis os espaços mais escondidos do nosso território. Por isso, nosso maior apoio ao combate a esse flagelo ocorre em locais afastados, que não têm vínculos diretos com a criminalidade da área urbana.”

As Forças Armadas aumentam seus treinamentos em operações específicas e de prontidão operacional para reagir em tempo e forma diante de qualquer ameaça, informa o site da internet do Exército. Como medida de dissuasão, aumentaram os patrulhamentos por ar, mar e terra em todo o país. Além disso, o país participa de exercícios com outras forças armadas da região, para desenvolver a coordenação e compartilhar estratégias e táticas, diz o Ministério.

“Continuaremos trabalhando em conjunto com a liderança do Comando Sul dos EUA para melhorar a eficácia e a eficiência da nossa principal função: defender nosso país e nossos vizinhos e reforçar a segurança que toda a população da região nos demanda”, finalizou o Gen Bda Alemán.

Share