• Home »
  • Notícias »
  • Microbiologista do NAMRU-6 embarca em navio da Marinha de Guerra do Peru ao longo do rio Amazonas

Microbiologista do NAMRU-6 embarca em navio da Marinha de Guerra do Peru ao longo do rio Amazonas

Microbiologista do NAMRU-6 embarca em navio da Marinha de Guerra do Peru ao longo do rio Amazonas

Por Denise Alford / Centro Naval de Pesquisas Médicas dos EUA
abril 23, 2020

Um membro da equipe da Unidade Naval de Pesquisas Médicas Nº 6 dos EUA (NAMRU-6, em inglês) embarcou no navio da Marinha de Guerra do Peru B.A.P. Río Putumayo II (PIAS 3104), em Iquitos, Peru, para uma missão de 30 dias, de 19 de novembro a 19 de dezembro, ao longo do Rio Putumayo, que faz fronteira entre o Peru e a Colômbia.

O Capitão de Corveta da Marinha dos EUA Stephen Lizewski, microbiologista e chefe adjunto do Departamento de Parasitologia, uniu-se a essa missão a convite da Marinha de Guerra do Peru. A missão é um meio de fortalecer as relações entre os EUA e o Peru, além de adquirir conhecimentos em primeira-mão sobre uma área crucial para a missão da NAMRU-6.

A Marinha de Guerra do Peru opera nessas áreas há anos, mas foi só em 2015, quando se constituiu a parceria entre a Marinha e os ministérios civis, que o programa Plataforma Itinerante de Ação Social (PIAS) decolou. Desde então, o programa PIAS tem realizado cinco campanhas por ano nessas regiões isoladas.

O Capitão de Corveta da Marinha dos EUA Stephen Lizewski recolhe amostras de água do rio Amazonas. (Foto: Jerome Martin / Marinha dos EUA)

“É extremamente difícil atingir essas comunidades”, disse David Ramírez, diretor do PIAS, a bordo do Río Putumayo II. A Dra. Pola Salas, clínica geral do Ministério da Saúde, concorda que, devido ao isolamento desses lugares, “é quase impossível que os habitantes dessas comunidades recebam assistência médica”.

“Anteriormente, as populações ribeirinhas achavam que o governo tinha se esquecido das comunidades do rio Putumayo”, declarou o Sr. Ramírez, “mas agora as pessoas se sentem incluídas no Peru”.

A missão do navio é levar assistência médica e serviços sociais às comunidades mais remotas e inacessíveis no coração da floresta amazônica. O programa PIAS é uma colaboração entre a Marinha de Guerra do Peru e seis ministérios do governo do país, sob a liderança do Ministério da Inclusão Social.

A Marinha de Guerra do Peru opera o navio enquanto os ministérios a bordo prestam seus serviços específicos de medicina, educação, bancários e de proteção às populações vulneráveis, todos eles com o objetivo de aprofundar a inclusão dessas comunidades isoladas e transmitir-lhes um sentido maior de comunidade no Peru.

O CC Lizewski avançou em diversos projetos de pesquisas da NAMRU-6, enquanto estava a bordo. Ele aumentou o componente médico do navio com equipamentos de testes avançados que fortaleceram as capacidades de realizar testes para doenças como diarreias e febre, que produziram resultados em aproximadamente uma hora. Os resultados também ofereceram uma ideia sobre quais doenças estavam presentes na área e quais não estão. Essa informação é essencial para as pesquisas da NAMRU-6.

Por exemplo, prevaleciam causas bacterianas e parasitas para enfermidades diarreicas, mas surpreendentemente não foi o mesmo com os casos de malária. O CC Lizewski também coletou amostras de água para identificar bactérias que causam doenças no ambiente, bem como novos métodos de tratamento de infecções causadas por tais bactérias.

Um tema recorrente na viagem foi a distância do alto rio Putumayo e a dificuldade de operar na região. Poucas organizações não governamentais trabalham na área, em grande parte devido às dificuldades logísticas de acesso, que só é possível pelo rio, já que não existem estradas.

A missão do programa PIAS possibilita que o governo do Peru tenha uma presença positiva na região de Putumayo, que está em uma zona especial de emergência, devido ao narcotráfico. Um dos objetivos do PIAS é evitar que essas comunidades entrem para o narcotráfico, prestando-lhes serviços que os traficantes não possam fazê-lo. A Marinha fornece a logística e a segurança para a operação, o que permite que os ministérios cumpram suas missões sem medo de ataques.

A NAMRU-6 tem um acordo antigo com a Marinha de Guerra do Peru, desde 1983. Sediada pela Marinha de Guerra do Peru e também localizada no seu hospital modelo em Lima, na Clínica Naval em Iquitos e em Puerto Maldonado, a NAMRU-6 realiza pesquisas e vigilância sobre um amplo leque de doenças infecciosas de importância militar ou para a saúde pública da região. Aí se incluem malária e febre da dengue, febre amarela, encefalites virais, leishmaniose e doenças entéricas tais como a shigelose e a febre de tifoide, bem como o monitoramento da resistência antimicrobial.

Share