Marinha da Colômbia desfere golpe contra dissidências das FARC

Marinha da Colômbia desfere golpe contra dissidências das FARC

Por Myriam Ortega/Diálogo
agosto 04, 2021

No final de junho de 2021, a Marinha da Colômbia deu um golpe nas dissidências das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), na costa do Pacífico do estado de Nariño. As autoridades destruíram dois laboratórios de processamento de cocaína e apreenderam drogas ilícitas e insumos sólidos e líquidos para a fabricação da droga, informou o Comando Geral das Forças Militares da Colômbia (CGFM), em um comunicado.

Os laboratórios tinham capacidade para produzir meia tonelada de cocaína por mês, explicou o CGFM. Durante operações paralelas, as autoridades apreenderam pasta base de cocaína e diversos litros de combustível. Segundo o CGFM, essas operações afetaram em cerca de US$ 16 milhões as finanças dos grupos criminosos Coluna Móvel Franco Benavides e Los Contadores, que se dedicam à produção, comercialização e distribuição de drogas na região.

“Esses grupos armados organizados residuais, dissidentes das FARC, cometem crimes na costa do Pacífico de Nariño e financiam suas práticas criminosas com atividades ilícitas, principalmente o narcotráfico”, disse à Diálogo o Vice-Almirante Francisco Hernando Cubides Granados, comandante da Força Naval do Pacífico (FNP) da Marinha da Colômbia. “Seu único interesse está baseado em manter o controle das principais rotas para traficar cocaína e/ou maconha para a América Central ou para a América do Norte.”

No primeiro semestre de 2021, a FNP apreendeu 16 semissubmersíveis no Pacífico colombiano. (Foto: Marinha da Colômbia)

Nos dois laboratórios encontrados nas zonas rurais dos municípios de Olaya Herrera e Tumaco, tropas da 4ª Brigada do Corpo de Fuzileiros Navais encontraram 20 quilos de cocaína, 15 kg de pasta base de coca, 416 litros de combustível, 1.625 kg de folha de coca, 1.114 kg de insumos sólidos, 9.346 litros de insumos líquidos, além de equipamentos para o processamento da droga.

Paralelamente, em rios dos municípios vizinhos, as forças navais apreenderam 183 kg de pasta base de cocaína e 5.678 litros de combustível, que eram transportados ilegalmente em motos aquáticas.

“O tráfico de drogas ilícitas continua sendo o negócio mais lucrativo das dissidências das FARC, de grupos armados organizados e grupos criminosos organizados na região do Pacífico, bem como o maior fator gerador de violência nos estados de Cauca, Chocó, Nariño e Valle del Cauca”, explicou o V Alte Cubides. “Com os recursos provenientes desse negócio ilícito, esses grupos criminosos financiam a aquisição de armamento, munição e explosivos de longo alcance, com os quais fortalecem suas atividades ilícitas para amedrontar, intimidar, desalojar e atentar contra a população civil e a força pública.”

No primeiro semestre de 2021, declarou o V Alte Cubides, a FNP apreendeu 84 toneladas de cocaína e 38 toneladas de maconha no Pacífico colombiano. Além disso, foram apreendidos 16 semissubmersíveis e mais de 76 embarcações utilizadas para o narcotráfico.

“A esses resultados, acrescenta-se o impacto sobre os diferentes escalões da cadeia de produção dos alcaloides, com a erradicação de 842 hectares de cultivos para uso ilícito na costa do Pacífico de Nariño, bem como a destruição de mais de 50 complexos ilegais destinados ao processamento de pasta base de coca e à cristalização de cocaína”, acrescentou o oficial.

Share