Marinha da Colômbia apreende semissubmersível com quase 2 toneladas de cocaína a bordo

Marinha da Colômbia apreende semissubmersível com quase 2 toneladas de cocaína a bordo

Por Myriam Ortega/Diálogo
outubro 01, 2021

Em uma operação conjunta com o Exército Nacional, a Marinha da Colômbia apreendeu quase 2 toneladas de cocaína a bordo de um semissubmersível no Pacífico sul colombiano. A droga e a embarcação pertenceriam ao Bloco Ocidental Alfonso Cano, uma dissidência das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), informou a Marinha em um comunicado no dia 1º de setembro de 2021.

As autoridades interceptaram o semissubmersível carregado com a droga no momento em que alguns indivíduos pretendiam retirar a embarcação por uma área de estuários no estado de Nariño. Diante da presença das autoridades, os homens se lançaram na água e fugiram pela zona de manguezais, abandonando também uma lancha rápida que aparentemente os escoltava, informou o comunicado.

Unidades da Marinha da Colômbia transportam sacos contendo as quase 2 toneladas de cocaína apreendidas a bordo de um semissubmersível, no início de setembro de 2021, no Pacífico colombiano. (Foto: Marinha da Colômbia)

Unidades da 4ª Brigada de Infantaria de Marinha, apoiadas por um navio da Flotilha de Superfície do Pacífico e tropas do Comando contra o Narcotráfico e Ameaças Transnacionais do Exército Nacional, executaram a operação, disse à Diálogo o Contra-Almirante Orlando Cubillos Chacón, comandante da 72ª Força-Tarefa contra o Narcotráfico Poseidón, unidade estratégica que lidera a ofensiva contra o tráfico ilícito de drogas no Pacífico colombiano. “Evidencia-se o trabalho articulado e conjunto das capacidades das Forças Militares para combater as organizações dedicadas ao narcotráfico na área do Pacífico de Nariño”, acrescentou o oficial.

As autoridades encontraram 90 sacos contendo 1.872 quilos de cocaína no semissubmersível de 17 metros de comprimento.

“Cabe ressaltar que durante esses últimos meses o grupo dissidente das FARC Bloco Ocidental Alfonso Cano tem sido o mais atingido, deixando de receber mais de US$ 200 milhões devido à apreensão de mais de 5,8 toneladas de narcóticos, três semissubmersíveis e três lanchas rápidas, além da destruição de laboratórios”, explicou o C Alte Cubillos. “Isso evidencia que estamos dando andamento a uma estratégia efetiva na luta contra o narcotráfico nessa região do país.”

Entre os dias 1º de janeiro e 10 de setembro de 2021, segundo dados da 72ª Força-Tarefa contra o Narcotráfico Poseidón, no Pacífico colombiano, as autoridades apreenderam 23 semissubmersíveis, 118.590 kg de cocaína e 41.686 kg de maconha; destruíram 65 laboratórios para o processamento de alcaloides, 842 hectares de cultivos de coca, 25.708 kg de insumos sólidos e 174.087 litros de insumos líquidos.

Share