Marinha da Colômbia apreende 4,3 toneladas de drogas

Marinha da Colômbia apreende 4,3 toneladas de drogas

Por Myriam Ortega/Diálogo
setembro 15, 2021

No início de agosto de 2021, a Marinha da Colômbia desferiu outro golpe duro contra o narcotráfico no Pacífico colombiano, com a apreensão de mais de 4,3 toneladas de drogas (entre cocaína e maconha) e o confisco de um Autopropulsionado Semissubmersível (SPSS, em inglês) e de quatro lanchas rápidas.

Unidades da Força Naval do Pacífico inerceptaram o semissubmersível na costa sul do estado de Nariño, com o apoio de plataformas aéreas dos EUA, informou a instituição naval em um comunicado, no dia 7 de agosto. O artefato de 15 metros de comprimento, que navegava em direção à América Central com 2.040 quilos de cocaína a bordo, era tripulado por dois colombianos e um estrangeiro, disse à Diálogo o Contra-Almirante Orlando Cubillos Chacón, da Marinha da Colômbia, comandante da 72ª Força-Tarefa contra o Narcotráfico Poseidón.

Uma unidade da Marinha da Colômbia vigia três tripulantes de um Autopropulsionado Semissubmersível, que foram capturados com o artefato naval e mais de 2 toneladas de cocaína a bordo. (Foto: Marinha da Colômbia)

“[O SPSS] pertencia ao grupo ocidental das FARC [Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia], Bloco Ocidental Alfonso Cano, que pratica crimes sob o comando do indivíduo conhecido como Allende”, explicou o C Alte Cubillos. “Essa organização ilegal […] lucra com a cadeia do narcotráfico, ou seja, com cultivos ilícitos, produção de pasta básica de coca e cristalização de cocaína, além da remessa de drogas para o exterior.”

No dia 6 de agosto, a Marinha anunciou os resultados de quatro operações de interdição marítima, onde suas unidades interceptaram três embarcações, que transportavam 1.654 kg de cocaína, e uma quarta embarcação que se dirigia à América Central com 636 kg de maconha.

Esses resultados foram alcançados depois da campanha naval internacional Orión VII, realizada entre os dias 15 de maio e 30 de junho, com a participação de 38 nações parceiras nas águas do Pacífico, do Atlântico e do Caribe. Segundo um comunicado do Ministério da Defesa da Colômbia, a sétima fase da Orión possibilitou a apreensão de 116 toneladas de cloridrato de cocaína, 95 toneladas de maconha, 85 toneladas de insumos sólidos e mais de 215.000 litros de insumos líquidos, entre outras conquistas. Além disso, as autoridades destruíram 780 infraestruturas ilegais utilizadas para o processamento de alcaloides e interceptaram três semissubmersíveis e cinco aeronaves.

Share